Últimas Notícias > | > O IPVA pode ser pago com desconto máximo de 22,4% até a semana que vem

O prefeito da cidade polonesa de Gdansk, Pawel Adamowicz, morreu após ser esfaqueado durante um evento de caridade

Pawel Adamowicz estava em um palco de campanha de caridade quando foi esfaqueado por invasor, que foi preso. (Foto: Agencja Gazeta/Bartosz Banka)

O prefeito da cidade polonesa de Gdansk, Pawel Adamowicz, morreu nesta segunda-feira (14) no hospital após ser esfaqueado na noite do domingo (13) diante de centenas de pessoas durante um evento de caridade. “Não conseguimos vencer”, disse o ministro da Saúde, Lukasz Szumowski, de acordo com a rede TVN, citada pela agência Reuters.

“Apesar de todos os nossos esforços, não conseguimos salvá-lo”, afirmou Tomasz Stefaniak, médico que operou o prefeito no hospital universitário de Gdansk, citado pela agência PAP.

O ataque ocorreu pouco antes das 20h do horário local. O agressor invadiu o palco onde Adamowicz estava, o atacou com uma faca grande e exibiu a arma ao público. Depois, ele pegou o microfone e afirmou, de acordo com a agência France Presse, que foi injustamente levado para a cadeia pelo governo anterior de centro, que o teria “torturado” na prisão. “É por isso que Adamowicz vai morrer”, afirmou.

O agressor foi detido logo depois do crime por agentes de segurança, sem resistência. Adamowicz foi reanimado no local antes de ser transferido para o hospital universitário. Ele passou por uma cirurgia e, até a manhã desta segunda, lutava entre a vida e a morte, segundo os médicos.

Adamowicz, de 53 anos, era prefeito da cidade portuária de Gdansk desde 1998. O evento fazia parte de uma campanha de arrecadação de fundos para a compra de equipamentos para hospitais.

Condição séria

Após Adamowicz passar por cirurgia, o médico cirurgião Tomasz Stefaniak disse a repórteres que sua condição era “muito séria” e que as horas seguintes eram “decisivas”. “Adamowicz sofreu uma lesão grave no coração e outras lesões no diafragma e órgãos da cavidade abdominal”, explicou o médico. Ele sofreu uma transfusão de 41 unidades de sangue.

Agressor

Segundo um porta-voz da polícia de Gdansk, o agressor é um homem de 27 anos que vive nesta cidade báltica de cerca de meio milhão de habitantes. Vários meios de comunicação informaram que o suspeito cumpriu uma sentença de cinco anos de prisão por quatro ataques armados contra bancos de Gdansk e que sua saúde mental teria sido seriamente afetada durante sua estada na prisão.

O PO (Plataforma Cívica), partido do governo anterior, apoiou a reeleição de Adamowicz no município de 2018. A investigação aberta pela polícia se concentrará na identificação dos “meios” que permitiram ao agressor acessar o pódio.

Deixe seu comentário: