Quarta-feira, 05 de Agosto de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
14°
Mist

Ciência A Estação Espacial Internacional faz manobra não planejada para evitar colisão com lixo espacial

Compartilhe esta notícia:

Estação aumentou sua altura em 300 metros para driblar detritos. (Foto: Nasa)

O Flight Control Center realizou uma manobra não planejada nesta sexta-feira para corrigir a órbita da Estação Espacial Internacional (ISS) para evitar o impacto de detritos espaciais. Agência espacial russa Roscosmos.

“Todas as operações foram realizadas de maneira normal e em total conformidade com os cálculos de especialistas russos”, afirmou a agência em comunicado.

As manobras foram realizadas com a ativação da hélice do caminhão Progress MS-14, conectada ao módulo da Zvezda no segmento russo da estação. Os propulsores funcionaram por 100 segundos, aumentando a altura da estação em 300 metros.

A última mudança na órbita da ISS ocorreu em 29 de junho, com uma altitude de 480 metros, com a estação a 418,5 quilômetros da Terra.

Essa manobra foi realizada para preparar a estação para a chegada do cargueiro Progress MS-15, cujo lançamento está previsto para 23 de julho.

A quantidade de detritos espaciais espalhados pela órbita da Terra se tornou uma preocupação para agências espaciais em todo o mundo. Segundo os cientistas russos, estima-se que o valor dobrará até 2030.

Atualmente, o sistema de gerenciamento espacial catalogou mais de 50.000 objetos espaciais em diferentes órbitas. Especialistas do Instituto Técnico do Estado Bauman da Rússia estimam que existam cerca de 7.200 toneladas de detritos espaciais em todo o planeta.

Esses resíduos podem danificar as naves espaciais ativas, tornando necessário procurar soluções para um problema global e cada vez mais urgente.

Uma colisão com um alvo de dez centímetros pode implicar “fragmentação catastrófica” do satélite. Um objeto de um centímetro, por outro lado, poderia perfurar o escudo da ISS, enquanto um objeto de um milímetro destruiria os subsistemas de satélite.

Caminhada espacial

O primeiro turista espacial que quiser reailizar uma caminhada espacial poderá passar de 90 a 100 minutos fora da nave espacial. A informação foi divulgada à Sputnik pelo escritório russo da empresa de turismo espacial Space Adventures.

“A caminhada espacial durará de 90 a 100 minutos, o que corresponde aproximadamente a uma volta à Terra. O cosmonauta não será profissional, portanto a diferença entre essa caminhada e as seis e sete horas será significativa [do ponto de vista do treinamento]”, disse o representante da empresa.

Assim, durante o tempo proposto, o turista poderá ver a Terra de todos os lados, já que a Estação Espacial Internacional [EEI] completa uma volta ao redor do planeta em uma hora e meia.

Anteriormente, a corporação de foguetes espaciais russa RKK Energia anunciou a assinatura de um contrato com a Space Adventures para o voo de dois turistas na nave Soyuz para a EEI em 2023.

Está previsto que um dos turistas faça a primeira caminhada espacial desde a estação junto com o astronauta russo. O presidente da Space Adventures, Eric Anderson, explicou posteriormente que ainda não há contrato com um turista específico.

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Ciência

Organização Mundial da Saúde vê primeiros resultados de testes com medicamentos para coronavírus
Anvisa autoriza testes para outra vacina contra o coronavírus
Deixe seu comentário
Pode te interessar