Terça-feira, 26 de Maio de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Partly Cloudy / Wind

Bem-Estar Médica desbanca mitos sobre a saúde da mulher

Compartilhe esta notícia:

A médica Jen Gunter desmistifica questões sobre a saúde da mulher. (Foto: Divulgação)

Para a médica Jen Gunter, centenas de anos de desinformação permitiram que homens controlassem e oprimissem as mulheres. “Se o objetivo é oprimir as mulheres, fazendo com que sempre tenham que se preocupar com seus corpos – que são normais –, a desinformação é uma ferramenta muito eficaz”, afirma.

Com o apoio e interesse da indústria de “bem-estar”, Jen Gunter acredita que esses mitos foram se perpetuando, ao mesmo tempo em que novos foram criados  para vender seus produtos.

Sob o objetivo de empoderar todas as mulheres com informações precisas sobre a vagina e a vulva, a médica lança o livro, em inglês, The Vagina Bible, ou A Bíblia da Vagina, em tradução livre. “Se é difícil para mim, que sou médica, como o resto das pessoas faz para encontrar informações?”

Em seu livro, com 400 páginas, ela responde a dúvidas simples, como o que é vagina ou o que é vulva, até aquelas mais complexas, como questões relativas a  vacina de HPV.

Gunter ficou famosa nos Estados Unidos por ter brigado publicamente com a atriz Gwyneth Paltrow, ganhadora do Oscar por Shakespeare Apaixonado, que virou uma espécie de “guru” com um blog sobre saúde e bem-estar e uma empresa que vale milhões de dólares. No entanto, o site da atriz já foi multado por divulgar informações sem base científica. Situação que já foi alertada, por diversas vezes por Gunter, desmentindo informações como: sutiãs causariam câncer e que vaporizadores vaginais limpariam o útero. Para a médica, a ideia de que o útero é sujo é “um mito patriarcal”.

Em 2017, Gunter escreveu um texto dizendo que o site da atriz se alimentava da indústria do medo, gerando dúvidas e ideias erradas nas mulheres. O conselho editorial do blog da atriz respondeu chamando Gunter de “estranhamente segura” para fazer as afirmações que fazia. Gunter respondeu: “Eu não sou ‘estranhamente segura’ sobre saúde vaginal. Eu sou adequadamente segura porque sou uma especialista. Eu fiz 4 anos de medicina, 5 anos de residência em ginecologia e obstetrícia, um ano de pesquisa em doenças infecciosas” e seguiu citando todo seu currículo. “Uma mulher sem treinamento médico algum que diz para as mulheres andarem por aí com ovos vaginais é a que é ‘estranhamente segura’.”

Em uma entrevista para a BBC News Brasil, Jen Gunter fala sobre as causas e interesses por trás dos mitos sobre saúde feminina espalhados em sites e redes sociais e tira dúvidas sobre a saúde da mulher.

1) O ponto G existe?

O “ponto G”, no estudo original de Ernst Gräfenberg, descrevia de forma bastante precisa o que hoje sabemos ser o clitóris, uma grande estrutura com tecido erétil que é muito perto da uretra. Então, ele estava descrevendo algo que hoje sabemos: que parte do clitóris é muito próxima da uretra, e que muitas mulheres devem ter essa parte sensível dependendo do tipo de estimulação e do momento.

Em alguns dias pode ser ótimo, em outros, não. Diferentes coisas podem afetar o que sentimos como prazeroso. Mas, de alguma maneira, essa ideia foi transcrita pelo patriarcado como um ponto que você pode tocar e levar a mulher à loucura.

2) A comida que ingerimos influencia nossa saúde vaginal?

Comer é algo bom para a saúde como um todo. Com uma dieta saudável e balanceada, tem-se um corpo mais saudável no geral. Mas não deve-se pensar na comida como algo para partes específicas do corpo, não é assim que funciona. E não se pode mudar o cheiro da vagina. O maior mito é que o consumo de açúcar pode causar infecções fúngicas. Essa é uma desinformação completa porque não se pode modificar o nível de açúcar da vagina com comida. Não é assim que o açúcar chega à vagina.

3) Como devemos limpar a vulva e a vagina?

Limpar a vagina e limpar a vulva são duas coisas diferentes. A vulva é a pele da parte de fora, onde as roupas encostam na pele [formada pelos lábios maiores e menores e o clitóris, entre outros órgãos femininos externos], e a vagina é a parte de dentro [o canal que liga a vulva ao colo do útero]. A vagina nunca precisa de limpeza. Deixe ela em paz. Não encoste nela. É como um forno que se limpa sozinho. Duchas, sprays, lenços dentro da vagina, tudo isso é danoso. Nunca os use.

A vulva é só pele, como em qualquer outra parte. Não é mais suja que outras partes. Quando você se limpa, seu objetivo é tirar o sebo, secreções das glândulas sebáceas, e bactérias, se houver. Não necessita produtos de limpeza agressivos. Para muitas pessoas, água é o suficiente.

4) Os pelos protegem a vagina? Devemos removê-los?

Pelos púbicos são normais. Não é anormal tê-los. E acreditamos que o que fazem é providenciar uma barreira mecânica para a pele bloqueando sujeira e detritos, e que também provavelmente mantêm a umidade da pele naquela área porque o teor de umidade da vulva é maior que o do resto do corpo. Então mexer nos pelos púbicos pode aumentar as sensações no seu corpo na atividade sexual. Os riscos diretos de remover pelos púbicos são ferimentos, o que não é incomum – vemos feridas, infecções, pelos encravados.

5) A pílula faz as mulheres engordarem?

Isso já foi bastante estudado. Não há relação entre as duas coisas.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Bem-Estar

O governo federal estuda cobrar impostos de quem presta serviços para Uber, 99, Cabify e outras plataformas
Cresce a procura por coordenadores de cena íntima em Hollywood
Deixe seu comentário
Pode te interessar