Quarta-feira, 15 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
Partly Cloudy

Ciência Nasa envia relógio atômico para espaço, mas não para contar as horas

Compartilhe esta notícia:

O equipamento tem o tamanho de uma bola de futebol e servirá para ajudar na navegação espacial. (Foto: Pixabay)

A Nasa, a agência espacial americana, enviará um relógio atômico compacto para o espaço no dia 22 de junho, mas ele não está relacionado com a necessidade de os astronautas de saberem a hora. Na verdade, o equipamento não servirá para contar o tempo, mas para ajudar na exploração espacial, já que poderá fornecer informações e dados sobre navegação, além de fazer medições gravitacionais.

Isso é importante porque mudará a forma como são feitas hoje as navegações no espaço, que dependem da comunicação com bases na Terra para ocorrer. Ou seja, atualmente, os satélites e as naves espaciais precisam enviar informações para antenas no solo terrestre por meio de ondas de rádio. Esses dados são processados por um relógio atômico e enviados de volta com atualizações de localização e tempo para a nave.

O motivo de esse processo ainda ser realizado em mão dupla é que não existia um relógio atômico pequeno o suficiente para ser levado a bordo das embarcações. Isso mudará com o novo equipamento da NASA, que tem o tamanho da uma bola de futebol, ainda que bem mais pesado, com 17 quilos. O relógio é chamado de DSAC (Deep Space Atomic Clock).

Duas décadas de desenvolvimento

Em desenvolvimento há mais de 20 anos pela agência, o DSAC também servirá para realizar experimentos científicos: como o tempo passa mais devagar em campos gravitacionais mais fortes, o relógio poderá ajudar na análise dos efeitos da gravidade.

Um desafio que precisa ser superado pelo DSAC é anular as influências de elementos externos no funcionamento de seus átomos, já que não tem a vantagem de poder ser protegido por esses fatores, como os relógios que estão nas bases da Terra.

Se bem-sucedido, porém, o equipamento poderá causar um grande impacto nas navegações, inclusive tornando as viagens mais seguras, já que tem a pretensão de ser o relógio atômico mais preciso a estar no espaço.

Asteroide

A Nasa anunciou que a missão Psyche, cujo objetivo é explorar o asteroide de mesmo nome, entrou em sua fase final e já existe uma data prevista para o lançamento da sonda que deverá viajar até a rocha espacial. Se tudo correr como o programado, a longa viagem terá início em agosto de 2022 e a pequena espaçonave chegará ao seu destino no fim de janeiro de 2026.

Psyche consiste em um intrigante asteroide que se encontra entre as órbitas de Marte e Júpiter e que os astrônomos acreditam ser composto principalmente por ferro e níquel. O objeto mede cerca de 250 km de diâmetro e, segundo suspeitam os cientistas da Nasa, ele poderia ser o núcleo exposto de um planeta que se desintegrou há bilhões de anos.

Se a equipe da agência espacial estiver certa, isso faz de Psyche um astro incrivelmente raro na nossa vizinhança cósmica, e enviar uma missão até o asteroide permitirá que os cientistas desvendem mistérios sobre os primórdios do Sistema Solar, bem como sobre a formação do nosso planeta.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Ciência

Novo lote de ingressos será sorteado para partida entre Uruguai e Japão, pela Copa América
Grêmio está sob comando de presidente interino até semana que vem
Deixe seu comentário
Pode te interessar