Sábado, 15 de Agosto de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Partly Cloudy

CAD1 A prefeitura de Porto Alegre autorizou táxis compartilhados para a população neste domingo

Compartilhe esta notícia:

O compartilhamento de táxis está autorizado, com embarque de passageiros nas paradas de ônibus, fora dos corredores. (Foto: Brayan Martins/PMPA)

No final da tarde desta sexta-feira (25), a prefeitura de Porto Alegre definiu medidas emergenciais para o transporte neste domingo (27), quando não haverá a circulação de ônibus devido à crise da falta de combustíveis. O compartilhamento de táxis está autorizado, com embarque de passageiros nas paradas de ônibus, fora dos corredores. A tarifa será R$ 6,00 por passageiro, independente do itinerário. O pagamento deve ser feito apenas em dinheiro. Os usuários também podem optar pelo serviço convencional de táxi e chamar o veículo por telefone ou aplicativo, e pagar conforme o taxímetro.

Também fica autorizado, para vans escolares credenciadas, realizarem o itinerário de ônibus. A tarifa será de R$ 6,00, com pagamento em dinheiro. O serviço de lotação funciona normalmente, com autorização de transporte em pé de passageiros.

Sábado

Em função do racionamento de combustível, neste sábado (26), o transporte público seguirá tabela de domingo. Na manhã de segunda-feira (28) está garantido o atendimento, dos primeiros horários até 8h30min, e uma nova reunião será realizada às 10h para avaliar a situação e definir como será a disponibilidade de ônibus no restante do dia.

Emergência

O prefeito Nelson Marchezan Júnior decretou, no início da noite de quinta-feira (24), situação de emergência no município de Porto Alegre em razão do desabastecimento ocasionado pela paralisação nacional dos caminhoneiros e que já afeta a prestação de alguns serviços na Capital. A medida também foi publicada em edição extra do Diário Oficial.

O objetivo é o de otimizar recursos existentes e direcioná-los às áreas essenciais (saúde, segurança, transporte público e saneamento básico), concentrando esforços para garantir a continuidade da prestação dos serviços públicos prioritários.

De acordo com o Decreto nº 19.999/2018, o município deve priorizar o abastecimento de combustível para transportes essenciais, como ambulâncias, transporte público e recolhimento de resíduos sólidos. Mesmo com a proposta do governo federal para o encerramento da paralisação, a estimativa é de que ainda se leve até três dias para normalização do abastecimento na Capital.

 

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de CAD1

Apesar da greve dos caminhoneiros, a alta do diesel nos postos de combustível foi menor do que nas refinarias
Viaturas do Exército escoltaram um caminhão-tanque para abastecer as Forças Armadas no Rio
Deixe seu comentário
Pode te interessar