Domingo, 14 de agosto de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Mist

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Mundo Agência reguladora dos Estados Unidos bane venda da marca de cigarro eletrônico mais popular do país

Compartilhe esta notícia:

A FDA não considera que os produtos da Juul apresentem um "risco imediato", mas acredita que a empresa não forneceu dados suficientes.

Foto: Reprodução
A FDA não considera que os produtos da Juul apresentem um "risco imediato", mas acredita que a empresa não forneceu dados suficientes. (Foto: Reprodução)

A FDA (Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos) proibiu a venda de todos os cigarros eletrônicos da marca Juul Laabs, a mais popular do país, em uma decisão com efeito imediato, de acordo com um comunicado de imprensa da entidade.

A agência reguladora descobriu que a empresa, que teve um sucesso fenomenal e dominou o mercado no final de 2010 com seus pen-drives vape e recargas de nicotina com sabor de frutas ou doces, não conseguiu demonstrar que o marketing de seus produtos era “apropriados para a proteção de saúde pública”.

A agência concluiu uma revisão de dois anos dos produtos comercializados pela empresa para garantir benefícios à saúde dos adultos, incluindo ajuda para parar de fumar cigarros tradicionais.

Em 2020, a FDA já havia proibido a comercialização de vapers de refil do tipo Juul com sabores aromatizados, autorizando apenas sabores de tabaco e mentol.

A proibição demonstra o compromisso da FDA “em garantir que todos os cigarros eletrônicos e outros produtos que fornecem nicotina por meio de um dispositivo eletrônico atualmente no mercado atendam aos padrões de saúde pública”, disse o chefe da agência, Robert Califf.

A FDA não considera que os produtos da Juul apresentem um “risco imediato”, mas acredita que a empresa não forneceu dados suficientes para poder avaliar “os possíveis riscos toxicológicos”. A Juul Labs anunciou que vai recorrer da medida.

“Discordamos das descobertas e da decisão da FDA e continuamos a acreditar que fornecemos informações suficientes e dados baseados em pesquisas de alta qualidade para abordar todas as questões levantadas pela agência”, disse o diretor regulatório da Juul, Joe Murillo, em comunicado.

“Pretendemos buscar a suspensão [da decisão] e estamos explorando todas as nossas opções sob os regulamentos e leis da FDA, incluindo apelar da decisão e envolver nosso regulador”, disse ele.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Justiça Federal bloqueia 3,6 bilhões de reais de Eike Batista
Falta de insumos para exames preocupa hospitais no Brasil
Deixe seu comentário
Pode te interessar