Sábado, 15 de Maio de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Fair

Colunistas Apesar de governadores e prefeitos, Brasil é 5° país que mais vacina no mundo

Compartilhe esta notícia:

Prefeito de Aparecida (SP), Luiz Carlos Siqueira, entregou ao presidente Jair Bolsonaro, imagem da Padroeira do Brasil. (Foto: Reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro comemorou neste domingo a marca de 53,4 milhões de doses de vacina distribuídas a governadores e prefeitos pelo Governo Federal. Ao mesmo tempo, o vacinômetro mostrava neste domingo, a aplicação de 23,495 milhões destas doses por governadores e prefeitos. Os mesmos em que insistem na narrativa de comprar mais vacinas diretamente junto a fornecedores. O que disse Jair Bolsonaro:

“Ultrapassamos a marca de 50 MILHÕES de vacinas contra o covid disponibilizadas. No total, nosso governo já distribuiu 53,4 milhões de doses aos estados, das quais cerca de 32 milhões foram aplicadas. Somos o 5° país que mais vacina no mundo. Com a aplicação de todas, seríamos o 4°.”

Dia de agradecer

O prefeito de Aparecida, cidade sede do Santuário de Nossa Senhora Aparecida, entregou ao presidente Jair Bolsonaro, uma imagem da Padroeira do Brasil. Foi a forma de agradecer o apoio do Governo Federal mediante a distribuição de mantimentos para moradores da cidade de Aparecida, que perdeu quase toda sua renda com a política do “fecha tudo/fique em casa.”

Segundo o prefeito da cidade, Luiz Carlos Siqueira (Podemos), mais de 70% da população está desempregada. “Aparecida perdeu ao longo desses 12 meses 12 milhões de peregrinos. Socioeconomicamente é uma tragédia, uma tristeza se viver aqui, uma tristeza muito maior estar na condição de prefeito governando uma cidade hoje que passa fome. Uma cidade que não tem mais liquidez.”

Na Venezuela, vacina só para a “cumpanherada”.

O governo venezuelano de Nicolás Maduro, apoiado aqui pelo PT e seus puxadinhos (PDT, PSOL, Rede) resolveu de forma simples a questão da pouca disponibilidade de vacinas:

A prioridade do governo de Maduro: profissionais da saúde, deputados — 92% deles são aliados ao chavismo —, funcionários do governo, policiais, e os inscritos no cadastro dos venezuelanos que possuem o chamado “carnê da pátria”, usado para acompanhar a fidelidade eleitoral e conceder subsídios estatais, para selecionar as pessoas que receberão a vacina anticovid. Ou seja, vacina só para os parceiros.

China, a maior aliada do Brasil na vacinação, segundo Ernesto Araújo

O ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, em um relato na conta do Twitter, faz duas revelações importantes: A China tem ido o maior parceiro do Brasil no quesito vacinas, ao contrário dos EUA e Índia, que têm boicotado o envio de imunizantes.

“Todos esses 50 milhões de doses foram: a) adquiridos no exterior durante a gestão do General Pazuello no MS e minha no MRE; ou b) produzidos no Brasil com insumos importados durante as gestões de Pazuello e minha. Desde que deixei o cargo, não chegaram novas vacinas.

A Índia continua não exportando vacinas ao Brasil por problemas logísticos e outros desde fevereiro, após haver-nos exportado 4 milhões de doses da AZ (tendo o sido o Brasil, em minha gestão, o primeiro país a receber vacinas fabricadas na Índia).

Os EUA continuam não liberando vacinas de seu excedente para exportação ao Brasil, nem para quaisquer outros países, exceto seus vizinhos México e Canadá.

Autoridade chinesa informou, em 26/3, que o Brasil era, naquele momento, líder entre 50 países que recebem vacinas e insumos de vacinas produzidos na China.”

Prefeito Sebastião Melo vacinado

O prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, recebeu neste domingo a primeira dose da vacina. E aproveitou para fazer um apelo “àqueles que ainda não fizeram a segunda dose, e estão dentro do prazo, para que compareçam. Desejo que a vacina chegue a todos os porto-alegrenses, brasileiros, ao mundo todo, porque a solidariedade não tem fronteiras.”.

Nesta segunda-feira, Porto Alegre inicia vacinação para cidadãos a partir dos 61 anos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Colunistas

Anulação de condenações custou R$ 10 milhões
Balela eleitoral
Deixe seu comentário
Pode te interessar