Sábado, 15 de Maio de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Fair

Cláudio Humberto Anulação de condenações custou R$ 10 milhões

Compartilhe esta notícia:

O dia que Iranildo não morreu

Foto: Reprodução
A Amazon adicionou US$ 700 bilhões ao seu valor de mercado em 2020. (Foto: Reprodução)

A decisão do Supremo Tribunal Federal de anular as condenações do ex-presidiário Lula cinco anos depois, e voltar processos à estaca zero, vai custar ao bolso do contribuinte bobão no mínimo R$ 10 milhões só em gastos com pessoal. Levantamento junto às respectivas plataformas de Transparência mostra que essa foi a despesa aproximada do pagador de impostos com salários e benefícios auferidos por servidores mobilizados nas apurações, incluindo 13ª Vara Federal em Curitiba, TRF-4 e STJ.

Primeira fatura

Entre a denúncia do triplex e a condenação mantida pelo STJ, foram 31 meses e cerca de R$ 5 milhões pagos a magistrados e auxiliares.

Prejuízo dobrado

No caso do sítio de Atibaia, foram 34 meses da denúncia à condenação em segunda instância. Mais R$ 5 milhões gastos para nada.

Para piorar

O contribuinte, que teve a fortuna retirada do bolso e jogada fora, pagará tudo de novo, revelam os dados obtidos nas Transparências dos órgãos.

Conta só aumenta

O custo preciso do prejuízo provocado pela decisão do STF é maior e só vai aumentar, com o processo “zerado” e sujeito aos mesmos prazos.

Só grandes redes ganham com o comércio fechado

Consolida-se no meio empresarial a certeza de que longos períodos de lockdown no comércio, sobretudo em mercados como São Paulo, não reduzem os casos de covid, mas garantem a destruição do comércio presencial, nas ruas e shoppings. Até agora, 20% de todas as lojas do País fecharam em definitivo, enquanto grandes grupos de varejo se fortalecem, em cruel e impressionante sistema de transferência de renda.

Cada vez mais rico

A última sexta (16), auge do lockdown no comércio, as lojas Americanas, de João Paulo Lehman, o mais rico brasileiro, bateu recordes na bolsa.

D. Luiza se dá

O Magazine Luiza, da caridosa bilionária Maria Luiza Trajano, foi a empresa que mais ganhou na Bolsa, depois das lojas Americanas.

Tendência mundial

A Amazon adicionou US$ 700 bilhões ao seu valor de mercado em 2020 e já vale US$ 1,6 trilhão. O Mercado Livre dobrou para US$ 83 bilhões.

Centro-esquerda

Com pré-candidatos tão arrogantes quanto desprovidos de votos e de talento político, é muito mais provável que os chamados “partidos de centro” se unam ao petista Lula, em 2022.

Mui aliado

O mesmo Rodrigo Pacheco que não resistiu à ordem do STF de instalar a CPI contra o “aliado” Bolsonaro, não dificultou o quase impeachment do “aliado” Michel Temer. O ex-presidente só se livrou da degola no plenário da Câmara, após Pacheco “lavar as mãos” na CCJ que chefiava.

Realmente úteis

Entre segunda (12) e sexta (16), o Brasil aplicou em média cerca de 900 mil doses de vacinas de covid, bem próximo da meta. Ao contabilizar os dados de sábado e domingo, essa média cai para pouco mais de 750 mil.

Vereador para quê?

Em São Paulo, 31 cidades não arrecadam o bastante para pagar salários dos vereadores. Eles nem cogitam livrar os munícipes do sacrifício de manter seus privilégios em troca de duas sessões mensais.

Fim da farra

Depois de elevar requisitos para incentivos da Lei Rouanet, o secretário de Cultura, Mario Frias, disse que não será “intimidado” por políticos do Psol. “Não sabem a diferença entre censura e zelo com dinheiro público”.

Coronalovers

Para identificar “coronalovers”, basta mencionar qualquer avanço na vacinação ou na chegada de mais doses no Brasil. Ficam transtornados, exageram número de mortos, infectados etc. É a torcida fúnebre.

Novos desafios

Após turbinar de R$ 7 para R$ 298 milhões o lucro da estatal de águas Caesb, Daniel Rossiter assumirá o Inas, instituto que cuida do plano de saúde dos servidores do DF, criado pelo governador Ibaneis Rocha.

Mais empresas

Dados do Mapa de Empresas do Ministério da Economia mostram que o Brasil criou 3,4 milhões de novas empresas no ano passado, o que representa um crescimento de 6% em relação a 2019.

Pensando bem…

…‘provocar o STF’ não é mais só juridiquês.

PODER SEM PUDOR

Marcado para morrer

Ex-deputado federal cearense Iranildo, conhecido por sua coragem pessoal e língua solta, foi de Juazeiro do Norte e Brejo Santo num carro guiado por um homem muito valente, da família dos Sampaio de Jardim. Duas horas de conversa, onde só o chofer falava. Iranildo ouvindo. Duas horas e o homem matou pra mais de 30. Chegou a dar fuga ao PC Farias. Já chegando, disse pra Iranildo: “No dia do seu comício em Missão Velha, onde você lascou a Prefeita, fui chamado pra lhe matar. Mas ouvi seu discurso e pensei: ‘Num se mata homem desses. Valente, corajoso, fala bonito.’ E Iranildo não teve outro gesto a não ser, humildemente, dizer: ‘Obrigado. Muito obrigado!’

Com informações de André Brito e Tiago Vasconcelos

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Cláudio Humberto

Fatos históricos do dia 19 de abril
Apesar de governadores e prefeitos, Brasil é 5° país que mais vacina no mundo
Deixe seu comentário
Pode te interessar