Segunda-feira, 13 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
14°
Fair

Capa – Caderno 1 Bolsonaro desiste da viagem a Nova York, onde receberia o título de Personalidade do Ano

Compartilhe esta notícia:

Jair Bolsonaro e Donald Trump durante encontro nos Estados Unidos, em março. (Foto: Alan Santos/PR)

O presidente Jair Bolsonaro cancelou a sua viagem a Nova York, nos Estados Unidos, onde participaria de um evento no qual seria homenageado como Personalidade do Ano de 2019. A homenagem foi proposta pela Câmara de Comércio Brasil-EUA. A viagem estava prevista para este mês. Com a decisão, o presidente também cancelou a agenda que teria em Miami.

Em nota, o porta-voz da Presidência da República, general Otávio do Rêgo Barros, diz que Bolsonaro agradece a homenagem proposta. “Entretanto, em face da resistência e dos ataques deliberados do prefeito de Nova York [Bill de Blasio] e da pressão de grupos de interesses sobre as instituições que organizam, patrocinam e acolhem em suas instalações o evento anualmente, ficou caracterizada a ideologização da atividade”, destaca o porta-voz.

Segunda viagem aos EUA

Essa seria a segunda viagem de Bolsonaro aos Estados Unidos desde que ele assumiu a Presidência da República. Em março, o militar esteve em Washington, capital do país, para se reunir com o presidente Donald Trump. Na ocasião, Bolsonaro também se reuniu com empresários e formadores de opinião.

Durante a viagem, Bolsonaro assinou um decreto que permitiu aos cidadãos dos Estados Unidos entrarem no Brasil sem necessidade de visto. Segundo ele, enquanto brasileiros vão ao país em busca de trabalho, americanos não visitam o Brasil em busca de emprego.

Bolsonaro e Donald Trump trocaram presentes, no dia 19 de março, na Casa Branca, em Washington. Um entregou ao outro camisas oficiais das seleções de futebol de seus países. Segundo o norte-americano, o presente era uma homenagem ao Brasil, que é uma potência no futebol.

Trump presenteou Bolsonaro com a camisa de número 19, em alusão ao ano de 2019. “O Brasil é um grande país. A grande potência do futebol. Tem grandes jogadores, posso lembrar de Pelé e tantos outros”, destacou.

Já o presidente dos EUA ganhou uma camisa de número 10, igual à que Pelé usou quando estava na ativa. Bolsonaro disse que a escolha do número 10 foi por causa das muitas alegrias que Pelé deu ao Brasil. “A camisa que simboliza o maior jogador de todos os tempos”, disse.

Após a reunião reservada de cerca de 20 minutos entre os dois líderes na Casa Branca, Bolsonaro, Trump e as comitivas do Brasil e dos Estados Unidos tiveram um encontro ampliado. A viagem aos Estados Unidos foi a primeira em caráter bilateral do presidente Bolsonaro.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Capa – Caderno 1

Com corte de 30% no orçamento, universidades federais gaúchas correm risco de fechar as portas
Resgate em Brumadinho chega ao centésimo dia
Deixe seu comentário
Pode te interessar