Segunda-feira, 08 de Março de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
24°
Partly Cloudy

Brasil Brasil registra 1.050 mortes por coronavírus em 24 horas

Compartilhe esta notícia:

Foram notificados 61.567 novos casos da doença.

Foto: EBC
Vítimas listadas pelo boletim deste sábado tinham idades entre 30 e 97 anos. (Foto: EBC)

O Brasil registrou neste sábado (16), 1.050 novos óbitos em decorrência do coronavírus, elevando o total de vítimas fatais da doença no país a 209.296, segundo o Ministério da Saúde.

Também foram notificados 61.567 novos casos da doença provocada pelo coronavírus, com o total de infecções confirmadas atingindo 8.455.059, acrescentou a pasta.

Diante do agravamento da pandemia, o Brasil é o segundo país com maior número de mortes por coronavírus no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, e o terceiro em casos, abaixo dos EUA e da Índia.
Rio Grande do Sul – Na atualização do boletim sobre a pandemia, a Secretaria Estadual de Saúde do RS registrou neste sábado (16) 4.236 novos casos da doença e teve confirmados mais 38 óbitos. O total de casos confirmados chegou a 505.021 e o de óbitos a 9.876. Os recuperados são 476.808 (94% dos casos).
Reunião da Anvisa
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) realiza, neste domingo (16), em Brasília, reunião extraordinária de sua diretoria colegiada, formada por cinco integrantes, para analisar os pedidos de autorização temporária de uso emergencial de duas vacinas contra o coronavírus.

A reunião começa às 10h e tem previsão de cinco horas de duração.

Estão na pauta da Anvisa os processos do imunizante Coronavac, fabricado e desenvolvido pelo Instituto Butantan, em conjunto com a farmacêutica chinesa Sinovac; e o da vacina da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), desenvolvida pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, em parceria com o laboratório AstraZeneca.

Somados, os pedidos se referem a seis milhões de doses da Coronavac e outros dois milhões de doses da vacina da Astrazeneca/Oxford.

Segundo comunicado da Anvisa, os pedidos serão analisados de forma separada e a decisão de aprovar o uso emergencial ou não será tomada por maioria simples, ou seja, de cinco diretores, três votos a favor ou contra definirão o resultado.

Após a abertura da reunião, três áreas técnicas da Anvisa farão uma apresentação: área de medicamentos, que avalia os estudos clínicos e de eficácia e segurança; a área de certificação de boas práticas de fabricação, que verifica se os locais de fabricação da vacina têm condições adequadas; e a área de monitoramento de eventos adversos, que monitora e investiga depois da vacinação se as pessoas tiveram alguma reação à vacina.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

O Instituto Butantan conclui a entrega de documentação à Anvisa para o pedido de uso emergencial da CoronaVac
Homem fortemente armado é preso perto do Capitólio dos Estados Unidos
Deixe seu comentário
Pode te interessar