Sexta-feira, 07 de Agosto de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Fair

Brasil Brasil tem mais 1.091 mortes por coronavírus e total de vítimas chega a 64.265

Compartilhe esta notícia:

Brasil passa de mil mortes pelo quinto dia seguido. (Foto: Reprodução)

Segundo o boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, o Brasil registrou até o momento 1.577.004 casos de covid-19. Destes, 64.265 casos resultaram em óbito, sendo 1.091 registrados nas últimas 24 horas. O número de pessoas recuperadas é de 876.359.

Entre os estados, São Paulo continua com o maior número de casos até agora, 312.530; seguido pelo Ceará (120.952) e Rio de Janeiro (120.440). Em número de mortes, no entanto, o Rio de Janeiro, com 10.624, ultrapassa o Ceará, que teve 6.411 óbitos até o momento. Também nesse quesito, São Paulo registra o maior número, com 15.996 mortes.

Entre os estados com menos registros, o Mato Grosso do Sul é a área de menor incidência, com 9.910 casos e 114 mortes. Tocantins, com 12.282 casos e 215 mortes, vem em seguida.

Apesar dos números nacionais, algumas cidades estudam a volta gradual da rotina. Na cidade de São Paulo, o prefeito Bruno Covas assinou os protocolos para reabertura dos setores de bares, restaurantes, estética e beleza na cidade.

No Rio de Janeiro, a reabertura de bares levou muita gente para a rua durante o primeiro dia de liberação. Nesta sexta-feira (03), após medidas punitivas, os estabelecimentos da cidade tomaram atitudes para diminuir as aglomerações. Já no Distrito Federal, o governador Ibaneis Rocha assinou decreto com o calendário de abertura de bares e escolas. O DF registra, até o momento, 55.760 casos diagnosticados e 671 mortes.

O Brasil registrou quase 6 mil mortes por covid-19 nos últimos cinco dias. O balanço já havia trazido o registro de 1.264 mortes no dia 3 de julho, 1.277 no dia 2, 1.057 no dia 1º e 1.271 no dia 30 de junho. Com as 1.111 confirmadas hoje, 5.980 óbitos foram registrados no período. Os dados do Ministério também apontaram cinco dias seguidos com mais de mil mortes diárias: 1.091 hoje, 1.290 mortes ontem, 1.252 no dia 2 de julho, 1.038 no dia 1º e 1.280 no dia 30 de junho, um total de 5.951 óbitos.

Hoje mais cedo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) informou um aumento recorde nos casos globais de coronavírus, com o total aumentando em 212.326 em 24 horas. As maiores elevações foram nos Estados Unidos, no Brasil e na Índia, de acordo com um relatório diário. O recorde anterior da OMS para novos casos era de 189.077 em 28 de junho. As mortes permaneceram estáveis em cerca de 5 mil por dia.

Mais uma vacina

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a empresa chinesa Sinovac Biotech a realizar testes para uma nova vacina contra o novo coronavírus. O teste da vacina deve ser feito em 9 mil pessoas, nos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná, além do Distrito Federal.

O estudo aprovado pela Anvisa se refere a um ensaio clínico fase III duplo-cego, controlado com placebo. Antes de dar a autorização, a agência analisou as fases anteriores de teste da vacina. Foram realizados estudos não-clínicos em animais, cujos resultados demonstraram que a vacina apresenta segurança aceitável. A vacina é feita a partir de cepas inativadas do novo coronavírus.

O termo “ensaio clínico” se refere aos estudos de um novo medicamento realizados em seres humanos. A fase clínica serve para validar a relação de eficácia e segurança do medicamento e também para validar novas indicações terapêuticas.

Este é o segundo teste de vacina contra covid-19 realizado no Brasil. O primeiro, desenvolvido pela universidade de Oxford, no Reino Unido, tem sido realizado em parceria com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), com participação do grupo farmacêutico Astrazeneca. Essa vacina já se encontra em estágio mais avançado de testes e há possibilidade de ser distribuída à população ainda este ano.

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Festa clandestina em Brasília acaba em briga e tiro de deputado
Ninguém acerta a Mega-Sena e prêmio vai a R$ 33 milhões
Deixe seu comentário
Pode te interessar