Domingo, 23 de junho de 2024

Porto Alegre
Porto Alegre, BR
23°
Mostly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui


Brasil Brasileira pode ser enviada para os Estados Unidos para ser julgada por assassinato

Compartilhe esta notícia:

Claudia Sobral é acusada de matar o marido, o ex-piloto da Aeronáutica americana Karl Hoerig. (Foto: Reprodução)

O STF (Supremo Tribunal Federal) está em vias de mandar enviar para os Estados Unidos uma brasileira nata que pode ser condenada por assassinato. O tribunal discute desde 2013 o caso de Claudia Sobral, ou Claudia Hoerig, contadora brasileira acusada de matar o marido, o ex-piloto da Aeronáutica americana Karl Hoerig, em março de 2007, em Ohio (EUA).

Ela está presa, em Brasília, desde abril deste ano, à disposição do governo americano, aguardando o trâmite do processo.

Claudia perdeu a nacionalidade.

Uma decisão inédita do STF estabeleceu, em abril, que brasileiros com dupla nacionalidade podem ser extraditados. O entendimento foi firmado por ministros que declararam a perda da nacionalidade brasileira de Claudia.

Segundo advogados que a defendem, é o primeiro caso de extradição de brasileiro nato desde a Proclamação da República, em 1889.

Ela nasceu no Rio de Janeiro em 1964, mas se naturalizou americana em 1999, mesmo já sendo portadora de um “green card”. Isso, de acordo com o Ministério da Justiça, significou que ela abriu mão da naturalidade brasileira.

ELA é considerada foragida pela Justiça dos EUA. (Foto: Reprodução)

Ela é considerada foragida pela Justiça dos EUA. (Foto: Reprodução)

Crime.

Claudia é apontada pelas autoridades americanas como a responsável pela morte do marido. As investigações dão conta de que, antes do homicídio, ela comprou uma pistola e realizou treinos de tiro em uma academia próxima de casa. Ela também teria transferido o dinheiro do marido para sua conta.

Claudia voltou ao Brasil dias antes das autoridades americanas encontrarem o homem morto na casa onde o casal morava.

Ainda em 2007, Claudia foi denunciada perante o júri do condado de Trumbull, após acusação da Promotoria local. Desde então, ela é considerada foragida pela Justiça dos EUA, que quer que ela responda ao processo criminal pelas leis americanas.

No último mês, o governo americano fez o pedido de extradição de Claudia ao Supremo. Se for enviada aos EUA e condenada por lá, ela poderá pegar prisão perpétua ou pena de morte por injeção letal, conforme a legislação de Ohio, onde o crime ocorreu.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Para Temer, candidatura do PMDB à Câmara mostra isenção
Preso de alta periculosidade foge de presídio e Brigada instaura sindicância para apurar falha
https://www.osul.com.br/brasileira-pode-ser-enviada-para-os-estados-unidos-para-ser-julgada-por-assassinato/ Brasileira pode ser enviada para os Estados Unidos para ser julgada por assassinato 2016-07-12
Deixe seu comentário
Pode te interessar