Terça-feira, 31 de Março de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
26°
Partly Cloudy

Notícias Brigadianos e familiares fizeram uma passeata em homenagem aos três colegas assassinados por criminosos em Porto Alegre nas últimas semanas

Além de celebrar a memória das vítimas, a iniciativa teve um forte caráter de protesto. (Foto: O Sul)

Um grupo formado por integrantes da PM (Polícia Militar) e agentes da Polícia Civil gaúcha realizou uma manifestação por ruas de Porto Alegre, na manhã desse sábado, em homenagem aos três brigadianos mortos ao enfrentarem criminosos nas últimas semanas. A manifestação contou com a presença, ainda, de familiares e amigos, bem como de um padre.

Em veículos e também a pé, eles partiram da Igreja São Jorge (padroeiro e protetor dos militares), no bairro Partenon (Zona Leste), às 10h, acompanhados por viaturas da EPTC (Empresa Pública de Transporte e Circulação). Em seguida, percorreram o trecho da avenida Ipiranga até chegar por volta das 11h à Silva Só, sob a chuva que caía na cidade.

O ponto de chegar foi escolhido por abrigar um monumento que lembra a morte do cabo da BM Valdeci Lopes, em agosto de 1990. Ele foi degolado próximo à Esquina Democrática (Centro Histórico) com um golpe de foice, em meio a um confronto com integrantes do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra) que realizavam um ato público na Praça da Matriz.

Protesto

Além de celebrar a memória das vítimas, a iniciativa teve um forte caráter de protesto. Com balões pretos e cartazes com as frases como “A sociedade gaúcha chora a morte de seus policiais”, “Somos mães, pais, filhos, irmãos… Policiais Militares” e “O Rio Grande está de luto”. Segundo representantes do grupo, a iniciativa também teve por objetivo demonstrar a união da Brigada Militar.

Os três assassinatos que motivaram a caminhada-carreata desse sábado ocorreram em dois incidentes. No dia 26 de junho, os PMs Marcelo de Fraga Feijó e Rodrigo da Silva Seixas perderam a vida ao serem baleados em um ponto de tráfico de drogas na entrada de uma vila na Zona Leste de Porto Alegre. Os disparos foram feitos por pelos menos dois atiradores, pai e filho adolescente: o primeiro acabou morto no local e o segundo apreendido.

Já o caso mais recente aconteceu na madrugada da quarta-feira passada, durante ação policial em ruas da Zona Sul. Na ocasião, o brigadiano Gustavo Barbosa Junior, 26 anos, recebeu um tiro fatal no rosto, quando ocupava o banco do carona de uma viatura que perseguia um trio de suspeitos em fuga dentro pelo bairro Alto Teresópolis, dentro de um carro roubado e no qual também estava uma jovem supostamente sequestrada.

Os três homens apontados como ocupantes do carro já estão presos. O último a ser capturado – na tarde de sexta-feira é um homem de 24 anos, foragido da Justiça e que estava escondido com a namorada, menor de idade, em uma casa na periferia de Caxias do Sul, na Serra Gaúcha.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Notícias

A aproximação de Rodrigo Maia com o governador João Doria, pré-candidato à sucessão de Bolsonaro, incomoda o Palácio do Planalto
A prisão de dois suspeitos de integrarem máfia no País é alerta na segurança
Deixe seu comentário
Pode te interessar