Sexta-feira, 28 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
28°
Fair

Magazine Canadenses reclamam de gastos que seu governo pode ter com Meghan e Harry

O casal alegou se sentir desconfortável com a pressão da mídia e disse que pretende "abandonar seu papel de membros seniores da família real"

Foto: Reprodução
O casal usa esse nome em sua conta no Instagram, na qual tem 11,2 milhões de seguidores, e em seu site oficial (Foto: Reprodução)

O príncipe Harry e Meghan, duquesa de Sussex, anunciaram na segunda-feira passada (08) a intenção de dividir seu tempo entre o Reino Unido e o Canadá e se afastar dos compromissos reais. A decisão surpreendeu a família real britânica que, depois de uma reunião, propôs um período de transição. Mas qual é a opinião dos canadenses sobre a presença de Meghan e Harry?

Segundo a correspondente da RFI no país, Pascale Guéricolas, a população não tem uma grande simpatia pela família real, principalmente no Québec, de influência francesa. A rainha da Inglaterra, Elizabeth 2ª, é a chefe de Estado do país, de acordo com a Constituição.

De acordo com uma pesquisa recente, de cada quatro canadenses, três questionam o custo da estadia prolongada do casal. O governo avalia a possibilidade de arcar com as despesas de proteção policial.

Uma jovem ouvida pela RFI afirmou que os canadenses vivem numa sociedade que considera arcaico gastar dinheiro público para pagar as contas do estilo de vida do casal real.

Além da questão financeira, a ida de Harry e Meghan leva ao questionamento sobre a ligação entre a Grã-Bretanha e o Canadá, uma ex-colônia britânica cujo regime político é a monarquia constitucional.

Outro entrevistado defendeu uma mudança na Constituição canadense, afirmando que é ridículo depender ainda de um regime britânico como o atual. Segundo a correspondente da RFI, o Canadá aceita receber Harry e Meghan, mas a condição é que eles não sejam tratados como privilegiados.

Independência financeira

Em uma reunião de família na segunda-feira (13) na residência real de Sandringham, no leste da Inglaterra, a rainha Elizabeth, de 93 anos, concordou com seu filho Charles — herdeiro do trono — e com os dois filhos dele, William e Harry, em realizar um período de transição para que o príncipe possa deixar gradualmente seu papel de primeiro plano na realeza.

O casal alegou se sentir desconfortável com a pressão da mídia e disse que pretende “abandonar seu papel de membros seniores da família real”, modificar seu relacionamento com a imprensa, dividir seu tempo entre Reino Unido e América do Norte e ser financeiramente independente.

Meghan, 38, viajou para o Canadá dois dias após o anúncio e reencontrou Archie, filho do casal, que havia permanecido no país sob os cuidados de uma babá. A ex-atriz, que renunciou à sua carreira quando se casou com Harry em 2018, morou no Canadá por causa da série de televisão Suits, na qual trabalhava.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Magazine

Deborah Secco vive impasse com marido sobre mais um filho: “Hugo quer adotar”
Espetáculo interativo Sobe Pro Play na Sala Álvaro Moreyra
Deixe seu comentário
Pode te interessar