Segunda-feira, 01 de Março de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
28°
Mostly Cloudy

Economia Com a economia crescendo 1,8% em 2017, o PIB do Rio Grande do Sul permanece entre os quatro maiores do País

Compartilhe esta notícia:

O Ibre elevou a estimativa de alta do PIB (Produto Interno Bruto) em 2020, de 1,8% para 2%. (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

O PIB (Produto Interno Bruto) do Rio Grande do Sul teve alta de 1,8% em 2017 e atingiu R$ 423,15 bilhões. Os dados fazem parte das informações do Sistema de Contas Regionais, elaborado anualmente pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em parceria com órgãos estaduais de estatística e divulgado nesta quinta-feira (14).

No Rio Grande do Sul, o trabalho do IBGE foi realizado em conjunto com o DEE (Departamento de Economia e Estatística), órgão vinculado à Seplag (Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão do Rio Grande do Sul).

A economia do Estado cresceu acima da do País, que apresentou alta de 1,1% no período. O valor de R$ 423,15 bilhões do PIB gaúcho em 2017 representou uma queda de 6,5%, em 2016, para 6,4% na sua participação no PIB nacional. Mesmo com a redução, o Estado permaneceu na quarta posição no ranking nacional, atrás de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, e à frente do Paraná e de Santa Catarina.

Desempenho por setor

A alta geral do PIB do Rio Grande do Sul foi puxada pelo avanço da agropecuária (11,4%) e do setor de serviços (1,6%). A indústria apresentou queda de 1,8% em 2017.

Na agropecuária, a agricultura apresentou resultado positivo (16,1%), fruto dos desempenhos positivos das safras de soja, arroz, milho e fumo. No caso dos serviços, os maiores destaques foram as atividades de comércio, manutenção e reparação de veículos automotores e motocicletas (5,8%) e serviços de informação e comunicação (5,9%).

A performance negativa da indústria foi explicada pela queda nas quatro atividades analisadas: indústria extrativa (-7,9%), indústria de transformação (-0,4%), eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação (-2,7%) e construção (-5,8%).

A estrutura do VAB (Valor Adicionado Bruto) dos grandes setores passou por leves alterações entre 2016 e 2017, com queda da agropecuária (de 10,2% para 9,2%) e da indústria (de 23,0% para 22,4%) e crescimento da participação dos serviços, que passaram de 66,8% para 68,5%.

As atividades com maior crescimento na participação do VAB foram educação e saúde privadas, passando de 6,1% para 6,7% de 2016 para 2017. Já a atividade que teve a maior queda na participação foi a da agricultura, que tinha 7,4% em 2016 e foi para 6,6% em 2017.

PIB per capita

Em 2017, o PIB per capita do RS cresceu 1,5%, alcançando R$ 37.371,27. O valor está 17,3% acima da média nacional, que foi de R$ 31.702,25 no período. Este número coloca o Estado na sexta colocação entre os maiores PIB per capita do País, atrás do Distrito Federal, São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Mato Grosso, e à frente do Paraná.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Natal Alegre 2019 terá mais de 70 atividades
A Rússia reconheceu Jeanine Áñez como líder até nova eleição, mas mantém que Evo Morales foi derrubado por golpe
Deixe seu comentário
Pode te interessar