Sábado, 04 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
18°
Fair

Capa – Magazine Festival de Cinema de Gramado começa hoje

Compartilhe esta notícia:

Evento prossegue até o dia 24, com mostras competitivas, exibições e debates. (Foto: Divulgação)

Mais importante evento nacional dedicado à chamada “Sétima Arte”, o Festival de Cinema de Gramado chega nesta sexta-feira à sua 47ª edição desde 1973. Até o dia 24, a cidade na Serra gaúcha mais uma vez será palco para exibição de filmes e, é claro, o já tradicional desfile de profissionais, gente famosa, apreciadores, fãs e curiosos, muitos deles em busca de uma “sefie” com alguma celebridade.

Ao todo, serão apresentados em mostras competitivas 19 longas e 34 curtas-metragens produzidos no Brasil e em outros países da América Latina. Disputam o troféu Kikito sete títulos na categoria de longas nacionais: dentre os destaques estão a cinebiografia “Hebe: A estrela do Brasil”, de Maurício Farias, com Andréa Beltrão na pele da apresentadora.

Também ganham destaque as mostras paralelas, sessões especiais, debates e discussões sobre o mercado audiovisual, que neste ano inclui a polêmica questão do tratamento dispensado pelo presidente Jair Bolsonaro à atividade. Em entrevistas recentes (e que têm sido alvo de duras críticas do setor), ele reiterou que não descarta a possibilidade de extinção da Ancine (Agência Nacional do Cinema) e defendeu a necessidade de “filtrar” os tipos de filmes que o órgão federal deve ou não bancar.

A exemplo do que tem feito em relação a outras áreas da cultura muito antes de se eleger para o Palácio do Planalto, ele questiona os conteúdos associados a questões de sexualidade, por exemplo. Mesmo sem admitir planos de censura, Bolsonaro tem criticado projetos aprovados para captação de recursos por leis de incentivo. Ou seja, um assunto e tanto para o evento que começa nesta sexta-feira.

Concerto de abertura

Um concerto da Orquestra Sinfônica de Gramado está inserido na programação de abertura do Festival, às 16h, na Rua Coberta (Centro), sob a regência do maestro Bernardo Grings e participação especial do Coral Bocalis regido por Liana Rubenich. No programa, composições extraídas de trilhas sonoras de filmes.

A primeira peça executada pelos músicos será o “Tema do Festival de Cinema de Gramado”, do compositor, instrumentista, arranjador e produtor porto-alegrense Geraldo Flach (1945-2011). Depois, o repertório segue com temas da animação “Frozen”, do drama “A Lista de Schindler”, da aventura “O Rei Leão” e do musical “Dançando na Chuva”, apenas para citas alguns exemplos.

Um pouco de história

A primeira edição do Festival surgiu da união da prefeitura local com secretarias estaduais, Embrafilme, Funarte (Fundação Nacional de Arte) e Companhia Jornalística Caldas Júnior. As primeiras edições, realizadas no verão, foram marcadas por sensacionalismo, nudez e estrelas que buscavam fama e reconhecimento na Serra Gaúcha.

Com a chegada da década de 1980, com a reabertura política e o aprimoramento das discussões sobre arte e cultura, o evento conquistou o status de um dos maiores do gênero no País. Já no início dos anos 1990, com a posse do governo de Fernando Collor, o Brasil presenciou um processo de quase extinção da cinematografia brasileira. Para sobreviver, o Festival se tornou internacional, com uma edição iberoamericana entre 15 e 22 de agosto de 1992. A nova fórmula internacional, inédita no Brasil, foi aprovada, dando novo significado ao evento.

Em sua edição de 40 anos (2012), o Festival se reinventou com um perfil mais democrático e inúmeras mudanças, onde a figura do presidente deixou de existir e as entidades de cinema ganharam maior participação. Outros fatores foram fundamentais para a nova fase, como a volta da exibição dos curtas gaúchos no Palácio dos Festivais e opção de ingressos mais baratos para todas as exibições. Em 2014, a Gramadotur, autarquia municipal responsável pela realização dos eventos públicos de Gramado, passou a estar à frente do evento.

(Marcello Campos)

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Capa – Magazine

Nova ponte da Avenida Ipiranga será inaugurada nesta sexta
Bolsonaro diz que Noruega não tem exemplo a dar ao Brasil porque mata baleias
Deixe seu comentário
Pode te interessar