Quinta-feira, 09 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
11°
Mostly Cloudy

Brasil Contas públicas têm o pior resultado em 15 anos

Compartilhe esta notícia:

Medida foi publicada no Diário Oficial da União (Foto: Marcos Santos/USP Imagens)

As contas do setor público consolidado, que engloba o governo federal, Estados, municípios e as empresas estatais, registraram o pior resultado para meses de fevereiro e também para o primeiro bimestre de um ano desde o início da série histórica do BC (Banco Central), em 2002, ou seja, em 15 anos.

Segundo dados divulgados  pela autoridade monetária nesta quarta-feira (30), foi registrado um déficit primário (despesas maiores do que receitas, sem contar os juros da dívida pública) de R$ 23 bilhões em fevereiro. No primeiro bimestre, foi contabilizado um superávit primário de R$ 4,87 bilhões, informou o BC.

O fraco desempenho das contas públicas acontece em meio à forte recessão que se abate sobre a economia brasileira, que tem diminuído o emprego, a renda e a demanda por bens e serviços. Isso tem impactado para baixo as receitas da União, dos Estados e dos municípios.

Meta fiscal

Os números de fevereiro e do primeiro bimestre não favorecem o atingimento da meta fiscal fixada no Orçamento da União, que é de superávit primário de 0,5% do PIB (Produto Interno Bruto), o equivalente a R$ 30,5 bilhões para todo o setor público. A parte somente do governo federal é de R$ 24 bilhões, ou 0,4% do PIB, enquanto R$ 6,5 bilhões são a meta de Estados e municípios (0,1% do PIB).

Déficit nominal

Quando se incorporam os juros da dívida pública na conta, no conceito conhecido no mercado como resultado “nominal”, houve déficit de R$ 52,82 bilhões no mês passado e de R$ 81,13 bilhões no primeiro bimestre de 2016. Em doze meses até fevereiro deste ano, o resultado negativo somou R$ 638 bilhões, o equivalente a expressivos 10,75% do PIB. (AG)

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Marrocos condena homem por ele ser homossexual
Presa quadrilha que roubava 30 caminhões por mês em Porto Alegre e na Região Metropolitana
Deixe seu comentário
Pode te interessar