Terça-feira, 31 de Março de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Mostly Cloudy

Mundo Donald Trump e Vladimir Putin tiveram uma reunião secreta durante a cúpula do grupo dos 20 países mais ricos do mundo

Putin e Trump conversam em reunião do 620 em Hamburgo. (Foto: AFP)

A Casa Branca admitiu que os presidentes Donald Trump e Vladimir Putin tiveram uma segunda reunião durante a cúpula do G20, no início do mês, que não havia sido divulgada anteriormente.

Trump e Putin se encontraram por duas horas numa reunião oficial no dia 7, na qual discutiram temas como supostas interferências russas na eleição presidencial de 2016 nos EUA, cooperação na Síria e os embates envolvendo o governo russo e seus rivais ocidentais.

A Casa Branca não revelou detalhes, mas o “Washington Post” afirma que o encontro ocorreu durante um jantar dos líderes do grupo das 20 maiores economias mundiais. Trump teria saído de sua mesa e foi para um local reservado para conversar com Putin, que estaria acompanhado apenas de seu intérprete, segundo um alto funcionário do governo americano.

A versão oficial da Casa Branca teria sido dada pelo próprio presidente, após o presidente do grupo de análise de risco Eurasia, Ian Bremmer, relatar o encontro com base em testemunhas na cúpula, em Hamburgo. O “Washington Post” relata que jornalistas não foram informados em nenhum momento do encontro paralelo.

Investigações de uma suposta interferência e ajuda da Rússia no processo eleitoral nos Estados Unidos no ano passado buscam provas concretas de conluio entre a Rússia e a campanha de Trump. Os presidentes já negaram reiteradas vezes, inclusive após o republicano pressionar o chefe de Estado russo no primeiro encontro ao vivo entre os dois.

“Imprensa doentia”

O presidente Donald Trump rebateu a imprensa com duras críticas após a Casa Branca ter sido forçada a admitir que ele e o líder russo, Vladimir Putin, tiveram uma “reunião secreta” durante a cúpula do G20, no início do mês, que não havia sido divulgada anteriormente. O encontro entre os líderes de EUA e Rússia teria durado uma hora, durante um jantar no local, sem presença de autoridades.

“A história Fake News (notícias falsas) de jantar secreto com Putin é “doentia”. Todos os líderes e consortes do G20 foram convidados pela chanceler da Alemanha. A imprensa sabia!”, atacou, pelo Twitter. “A Fake News está se tornando mais e mais desonesta! Até mesmo um jantar arranjado para os 20 principais líderes na Alemanha é colocado para parecer sinistro”.

Embaixador dos EUA na Rússia

Donald Trump designou o veterano diplomata e ex-governador de Utah Jon Huntsman como embaixador na Rússia, informou a Casa Branca nesta terça-feira.

O anúncio ocorre no momento em que se investiga as acusações de colusão entre Moscou e a equipe de campanha de Trump envolvendo a eleição presidencial de 2016.

Huntsman, 57 anos, já foi embaixador em Cingapura e China.

Se for confirmado pelo Senado, Huntsman terá um cargo-chave no momento em que um promotor especial investiga a suposta ingerência russa na campanha eleitoral americana.

Como candidato, Trump criticou Huntsman por sua atuação como diplomata na China, entre 2009 e 2011, sob o governo de Barack Obama.

Após deixar o cargo de embaixador em Pequim, Huntsman se lançou na disputa republicana por uma indicação a candidato presidencial em 2012.

Ex-governador de Utah, Huntsman também integra as diretorias de várias empresas, como Caterpillar, Chevron, Ford Motor Company e Hilton.

Huntsman inicialmente apoiou a candidatura de Trump, no ano passado, mas depois recuou diante da revelação de uma gravação de 2005 na qualo magnata usava linguagem vulgar para se referir a mulheres. (AG)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Governo instala misturador de voz no gabinete do presidente Michel Temer para evitar que gravem as suas conversas
Dinheiro a ser pago pelo ex-presidente Lula e outros réus no caso do apartamento triplex deverá ser revertido à Petrobras
Deixe seu comentário
Pode te interessar