Sábado, 25 de setembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
13°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Brasil Em depoimento ao juiz Sérgio Moro, o cantor e ex-ministro Gilberto Gil negou ter conhecimento da corrupção atribuída a Lula

Compartilhe esta notícia:

Gil se apresentou com Chico Buarque em show pró-Lula recentemente. (Foto: Ricardo Stuckert)

O cantor Gilberto Gil negou ter qualquer conhecimento de práticas de corrupção quando foi ministro da Cultura (2003-2008) nos governos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Gil foi ouvido como testemunha de defesa de Lula, na manhã desta quinta-feira, pelo juiz Sérgio Moro, no caso em que o petista é acusado de se beneficiar de reformas de empreiteiras num sítio em Atibaia, no interior de São Paulo.

O cantor foi chamado para prestar depoimento somente porque ocupou o cargo de ministro na gestão de Lula. No entanto, não há nada que envolva Gil no processo.

No final da sessão, Gil ainda foi indagado por Moro se tinha ciência de acusações de corrupção contra ex-ministros de Lula como Antônio Palocci, José Dirceu e o marqueteiro João Santana.

O magistrado chegou a perguntar se Gil sabia que Palocci e Santana eram réus confessos na Lava-Jato em crimes como corrupção e lavagem de dinheiro.

“Tenho ouvido notícias a respeito dessa possibilidade”, disse Gil.

Neste processo, Lula é acusado de receber benfeitorias no sítio de Atibaia que somam R$ 1, 02 milhão. A reforma no imóvel teria sido feita por meio de empreiteiras como Odebrecht e OAS. O sítio está registrado no papel no nome dos empresários Jonas Suassuna e Fernando Bittar. O entendimento dos investigadores da Lava-Jato é de que Lula é o real proprietário do imóvel.

No entanto, o ex-presidente nega todas as acusações. Ao longo do processo, outras testemunhas ouvidas afirmaram que o ex-presidente apenas frequentava o imóvel a convite de Fernando Bittar, que era muito amigo de Lula.

Show “Lula Livre”

Recentemente dezenas de artistas se reuniram para o Festival Lula Livre, em defesa da liberação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na Operação Lava-Jato. A organização do evento, realizado no bairro da Lapa, na região central do Rio de Janeiro, divulgou a participação de 42 cantores e bandas, que se apresentaram até alta noite.

As atrações mais aguardadas eram as de Chico Buarque e Gilberto Gil. Também foram divulgadas as presenças dos cantores Chico César, Beth Carvalho, Jards Macalé, Lan Lanh e Ana Cañas.

Milhares de manifestantes vestiram máscaras de Lula e clamaram por sua liberação. No início do evento, a atriz Lucélia Santos fez um discurso em defesa do ex-presidente e também da sua participação nas eleições deste ano. Personalidades como o ator Fábio Assunção e o deputado federal Jean Wyllis compareceram ao evento.

Em suas redes sociais, Lula escreveu uma carta aos manifestantes. “Queridos artistas, estudantes, trabalhadores, meus queridos amigos reunidos nesse sábado, Eu só posso agradecer a solidariedade de vocês. Quantas vezes, quando a sociedade calou diante de barbaridades, foram os nossos músicos, escritores, cineastas, atores, dramaturgos, dançarinos, artistas plásticos, cantores e poetas que vieram lembrar que amanhã há de ser outro dia?”, escreveu o ex-presidente, em um dos trechos, no dia do evento.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

O Brasil antecipou o cumprimento da meta de redução de carbono
“O orçamento não tem espaço para reajustes salariais”, disse o relator do projeto base para 2019
Deixe seu comentário
Pode te interessar