Terça-feira, 28 de Janeiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
27°
Mostly Cloudy

Brasil Em post, jovem disse antes de morrer que foi agredido pela mãe por ser gay

Em post no Facebook, adolescente diz que foi espancado pela mãe por ser gay. (Foto: Reprodução/Facebook)

Dois dias antes de ser morto, o adolescente Itaberlly Lozano, de 17 anos, afirmou em uma postagem no Facebook que foi agredido pela mãe por ser homossexual. As imagens da publicação – que acabou sendo apagada depois – foram recuperadas por amigos do jovem e entregues ao Ministério Público.

O promotor Wanderley Trindade afirmou que denunciará a gerente de supermercado Tatiana Lozano Pereira, de 32 anos, por crime de homofobia, contestando o inquérito da Polícia Civil, que aponta somente desavenças entre mãe e filho.

Tatiana e o marido, o tratorista Alex Pereira, de 30 anos, padrasto de Itaberly, foram presos na quarta-feira (11), em Cravinhos (SP), após confessarem o crime. Na sexta-feira (13), a Polícia Civil prendeu outros dois jovens, de 18 e 19 anos, por participação no assassinato.

“Acredito que foi a própria Tatiana quem apagou a postagem quando ele foi assassinado, porque ela estava com o celular dele na madrugada do crime. Para provar, estou pedindo a quebra de sigilo na Justiça”, disse o promotor.

Na publicação, o adolescente relata que foi espancado “pela mulher que chamava de mãe” por ser gay e que Tatiana colocou “uma renca de moleques” para agredi-lo. Itaberlly diz ainda que foi para a casa de amigos em Franca (SP) para fugir das ameaças.

O tio paterno da vítima, Dario Rosa, já havia afirmado que Tatiana não aceitava a homossexualidade do filho e, por esse motivo, os dois tinham muitas discussões. A família suspeitava que o crime foi motivado pelo fato de Itaberlly ser gay.

 

Voltar Todas de Brasil

Compartilhe esta notícia:

Divulgação da nota do Enem vai ser antecipada para esta quarta-feira, diz Inep
Para combater superlotação, Temer quer discutir com FHC pena por tráfico
Deixe seu comentário
Pode te interessar