Terça-feira, 07 de Julho de 2020

Porto Alegre

CAD1 Entenda o que é deflação e quando ela é um problema para a economia

Compartilhe esta notícia:

Por poucas vezes o Brasil teve deflação em sua história. (Foto: Freepik)

A inflação descontrolada sempre foi um problema a ser combatido no Brasil. Em vista disso, quando os preços passam a cair, a impressão é de que a economia melhorou. Tudo fica mais barato, afinal, e o brasileiro pode consumir mais com a mesma quantia de dinheiro. Segundo economistas, esta conclusão é equivocada. Em junho, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor) teve deflação de 0,23%, a primeira em 11 anos.

A deflação acontece quando os preços de produtos e serviços caem em determinado período. É um movimento contrário ao da inflação, quando os preços sobem. A deflação é diferente da chamada desinflação – neste caso, os preços sobem, mas em ritmo mais lento, como vem acontecendo recentemente no Brasil.

Quando os preços caem demais, as pessoas deixam de consumir, acreditando que o dinheiro valerá mais no futuro. Isso alimenta uma nova queda de preços.

Uma das principais causas da deflação é a recessão (a economia em crise), quando os consumidores compram menos e forçam as empresas a reduzir preços, explicam os economistas.

Segundo especialistas, a deflação é tão ruim ou até pior que a inflação muito alta quando vira uma tendência. O motivo é simples: quando os preços caem demais, as pessoas deixam de consumir e passam a poupar, acreditando que o dinheiro valerá mais no futuro. Isso alimenta uma nova queda de preços, puxando a economia para baixo.

Histórico de deflação

Por poucas vezes o Brasil teve deflação em sua história. Ela sempre foi mais comum entre países desenvolvidos. O caso mais grave aconteceu em 1930, como reflexo da quebra da bolsa de Nova York em 1929. Os preços cederam 8,9% em um ano no Brasil, segundo dados do custo de vida no Rio de Janeiro disponibilizados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada.

Naquele momento, o governo de Getúlio Vargas precisou intervir comprando e queimando milhões de sacas de café, o principal produto exportado pelo Brasil na época. A estratégia era reduzir a oferta e forçar um aumento nos preços. “O estado aumentou seus gastos para salvar a economia”, aponta o professor de economia da USP e especialista em inflação Heron do Carmo.

Na história mais recente do Brasil, só houve deflação no IPCA por no máximo três meses. Isso aconteceu entre julho e setembro de 1998, num período marcado por muitas crises financeiras no mundo e pela desvalorização das commodities.

Em outros países, a deflação já foi o maior vilão da economia. Duas das piores crises aconteceram nos Estados Unidos, após o “crash” da bolsa de Nova York em 1929 e, no Japão, durante a década de 1980. Os governos destes países precisaram intervir para combater um ciclo recessivo gerado pelos preços cada vez mais baixos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de CAD1

O médico agredido durante um voo por funcionários da companhia aérea United teme sofrer danos cerebrais irreversíveis
O Brasil teve três presidentes da República no sábado
Deixe seu comentário
Pode te interessar