Sábado, 28 de Março de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Fair

Mundo Entenda os impactos do avanço do coronavírus na economia global e brasileira

Epidemia afeta cadeias globais de suprimentos, abala bolsas, suspende produção, paralisa atividades e eleva preocupações sobre desaceleração da economia na China e no mundo

Foto: Reprodução
Epidemia afeta cadeias globais de suprimentos, abala bolsas, suspende produção, paralisa atividades e eleva preocupações sobre desaceleração da economia na China e no mundo. (Foto: Reprodução)

O avanço da epidemia do novo coronavírus pelo mundo tem provocado abalos nos mercados globais e tem elevado as preocupações de investidores e governos sobre o impacto da propagação do vírus nas cadeias globais de suprimentos, nos lucros das empresas e na desaceleração do crescimento da economia global.

Embora o maior número de casos confirmados e os principais impactos ainda estejam concentrados na China, o coronavírus já se espalhou por mais de 40 países de todos os continentes, provocando o fechamento de fábricas, interrupção de produção, fechamento do comércio e a paralisação de atividades também em países como Coréia do Sul, Japão e Itália.

Primeiras consequências

O surto já representa um grande abalo na economia chinesa, pois tem fechado fábricas e centros comerciais, colocado regiões inteiras em quarentena e deixado muitos cidadãos trancados em suas casas por medo do contágio, reduzindo dessa forma o consumo e a atividade econômica.

Mesmo em regiões que não estão em quarentena, eventuais suspeitas de contaminação têm levado ao fechamento total de algumas indústrias até que se descarte um novo caso.

Até mesmo a produção de mel foi afetada na China, a maior produtora mundial de mel, uma vez que as restrições de viagens adotadas para conter o surto prendem apicultores em casa e deixarão suas abelhas sem alimento durante semanas.

Fora da China, os países mais impactados até o momento são Coreia do Sul, Itália, Irã e Japão, com fechamento de lojas, prateleiras de supermercados vazias, interrupção de serviços de transportes e paralisação de diversas atividades. E viagens aéreas internacionais têm sido canceladas no mundo todo.

No Japão, todas as escolas de educação infantil, ensino fundamental e ensino médio foram orientadas a ficar fechadas até o fim das férias da primavera em abril para ajudar a conter o surto. Já os parques da Disney em Tóquio anunciou que ficará fechado por duas semanas.

Cadeias globalmente integradas

O impacto do coronavírus na produção manufatureira chinesa também traz consequências para os principais parceiros comerciais chineses e para as cadeias globais de suprimentos. As exportações chinesas de bens intermediários no segmento eletroeletrônico respondem por mais de 10% da produção global desses produtos.

Segundo um relatório da Trendforce, empresa chinesa de análise de cadeia de suprimento, a produção de smartphones no primeiro trimestre de 2020 pode cair 12% se comparada ao mesmo período em 2019.

Se confirmada a previsão, essa seria a pior produção para o primeiro trimestre em 5 anos. Outros tipos de dispositivos, como monitores, TVs e notebooks também devem ter redução de milhões de unidades na produção, de acordo com a consultoria.

Bolsas desabam pelo mundo

O avanço da epidemia nos últimos dias derrubou as principais bolsas do mundo. Na Europa e nos EUA as bolsas caminham para encerrar nesta sexta-feira (28) a pior semana desde a crise financeira de 2008. Entre as ações mais afetadas estão as de companhias aéreas e empresas do setor de turismo, tecnologia, eletrônicos, automóveis e até de alimentos.

“Finalmente estamos acordando para o fato de que esse problema pode continuar por um período e ter um impacto significativo no crescimento econômico chinês e global e potencialmente nos Estados Unidos”, disse Randy Frederick, vice-presidente de negociação e derivativos para Charles Schwab em Austin, Texas.

“Quando as pessoas reagem a isso porque não viajam, não vão a restaurantes ou fazem compras, isso terá um impacto imediato na economia. Depende de quanto tempo dura e quão amplo é o contágio”, acrescentou.

Impacto no PIB do Brasil

As preocupações em torno dos impactos do coronavírus na economia global também tem pesado nas revisões para baixo nas projeções para o crescimento da economia brasileira em 2020.

O mercado brasileiro reduziu para 2,20% a previsão a alta do PIB (Produto Interno Bruto) em 2020, segundo a última pesquisa Focus do Banco Central, mas diversos bancos e consultorias já estimam um crescimento abaixo de 2%.

Revisões para baixo no PIB chinês geralmente afetam também o Brasil. Além de importante comprador de commodities brasileiras como minério de ferro e soja, o país asiático também tem papel relevante como fornecedor para a indústria local, especialmente a de produtos eletroeletrônicos. E já há relatos de de falta de peças para a montagem de produtos, em razão da interrupção da produção e redução dos estoques na China.

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, afirma que a SPE (Secretaria de Política Econômica) deverá rodar em breve uma nova projeção para o crescimento da economia em 2020 em razão dos impactos do coronavírus.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

“Se repetir o cenário da China, coronavírus é administrável no Brasil”, diz o ministro da Saúde
Rio Grande do Sul colheu 50% da área de milho e 2% da soja, afirma a Emater
Deixe seu comentário
Pode te interessar