Quarta-feira, 25 de Novembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
28°
Showers in the Vicinity

Notícias Projeto em tramitação na Assembleia prevê instalação de dispositivos de energia solar em prédios públicos estaduais

Compartilhe esta notícia:

Geração de energia solar é incentivada no País. (Foto: Divulgação)

O deputado estadual Pedro Pereira (PSDB) protocolou na Assembleia Legislativa gaúcha o projeto de lei 395/2019, que prevê a implantação de sistemas de energia solar fotovoltaica em prédios de propriedade do Rio Grande do Sul.

“O Estado deve sair à frente com esta inovação, ensejando modelos renovados, mais baratos e eficientes nas áreas de habitação, saúde, estabilidade, segurança, pesquisa e desenvolvimento” justificou ao defender a iniciativa.

Ele também ressalta que, além das vantagens decorrentes de modalidade (incluindo-se a redução dos gases de efeito estufa), o avanço tecnológico resultante proporciona uma custo bem menor e tem fácil instalação.

“Trata-se de um sistema prático de geração de energia, com ganhos em competividade e eficiência. É também, um incentivo a adoção de telhados solares fotovoltaicos em áreas urbanas e rurais”, afirmou o parlamentar.

Atlas

No final do ao passado, um amplo estudo sobre os pontos de energia renovável a serem explorados no território gaúcho foi lançado pela Secretaria de Minas e Energia, ainda na gestão do governador José Ivo Sartori.

Intitulado “Atlas Solar do Rio Grande do Sul”, o documento indicou a potencialidade de aproveitamento de energia solar no Estado, considerado vice-líder nacional em potência fotovoltaica instalada.

Dentre as informações mais importantes do mapeamento, está a capacidade de incrementar o desenvolvimento econômico e humano através da atração de novos investimentos. Especialistas consideram importante esse tipo de mapeamento para a elaboração de políticas públicas.

O Atlas apontou que, com a utilização de apenas 2,1% da área não urbana do Estado (considerada apta para instalação de projetos fotovoltaicos), é possível instalar uma potência de 23 GW (gigawatts) de energia fotovoltaica e produzir, anualmente, cerca de 34 TWh de eletricidade.

Esse número é equivalente à média do consumo gaúcho de energia elétrica nos últimos sete anos, incluindo as perdas do sistema.

Cenário global

A energia do sol é o recurso natural mais abundante e essencial para a vida podendo ser aproveitada em diferentes níveis. Segundo o Atlas Solar, a energia fotovoltaica em particular está em franco desenvolvimento no mundo, em que a capacidade instalada vem crescendo de forma exponencial alcançando 404 GW em 2017.

Esse é um mercado cada vez mais competitivo impulsionado pela diminuição dos preços dos equipamentos e dos aumentos dos preços da eletricidade. Atualmente, o Rio Grande do Sul é vice-líder nacional em potência fotovoltaica instalada e o quarto lugar em energia eólica.

Exemplos de políticas que beneficiaram a atração de empreendimentos que utilizam energia renovável são a Lei 52.964/2016, sobre isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias na Geração Distribuída, e a Resolução Consema 372/2018, sobre isenção de Licenciamento Ambiental para autoprodução e geração distribuída de energia elétrica a partir de fonte solar ou eólica, regradas pela Resolução Normativa nº 687 da Agência Nacional de Energia Elétrica.

O mapeamento foi realizado em parceria com empresas do setor privado e as universidade UFGRS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), PUCRS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul) e Uergs (Universidade Estadual do Rio Grande do Sul).

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Notícias

Ministro francês diz que Brasil promove “concurso de insultos”
Justiça aceita denúncia contra suspeitos da morte de jogador de futsal do Corinthians no interior gaúcho
Deixe seu comentário
Pode te interessar