Terça-feira, 11 de Maio de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
24°
Mostly Cloudy / Wind

Brasil Fiocruz vai pagar R$ 59,4 milhões por vacinas de Oxford importadas da Índia

Compartilhe esta notícia:

Vacinas prontas custam US$ 5,25 cada.

Foto: Banco de Imagem/GOVBR
Empresas argumentam que medida aceleraria a imunização e desoneraria as contas públicas. (Foto: Banco de Imagem/GOVBR)

A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) informou nesta terça-feira (5) que as tratativas com o Instituto Serum para a importação de 2 milhões de vacinas prontas seguem normalmente e estão em estágio avançado. O instituto oferecerá as vacinas prontas ao mercado pelo valor de US$ 5,25 cada. Conforme nota divulgada nesta terça pelos Ministérios da Saúde e das Relações Exteriores, a Embaixada do Brasil em Nova Delhi está em contato permanente com autoridades indianas para reforçar a importância do início da vacinação no Brasil e não há qualquer impedimento oficial por parte do governo indiano para a exportação dessas vacinas.

O Instituto Serum, que é um dos centros capacitados pela AstraZeneca para a produção da vacina na Índia e o maior produtor de vacinas do mundo, também publicou nota reforçando a intenção de garantir acesso mundial a suas vacinas contra Covid-19.

Paralelamente às negociações para compra dessas vacinas, técnicos da Fiocruz e da AstraZeneca estiveram reunidos novamente com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), nesta terça-feira para discutir o pedido de uso emergencial das 2 milhões de vacinas prontas a serem importadas. O encontro tratou do detalhamento dos documentos que deverão ser apresentados no momento da submissão. O objetivo do alinhamento é garantir que os dados sejam submetidos de acordo com os requisitos estabelecidos pela Agência, para que a avaliação ocorra o mais rapidamente possível.

A Fiocruz afirmou que aguarda o recebimento de informações da AstraZeneca e do Instituto Serum relativas à produção e ao controle de qualidade da vacina para submeter formalmente o pedido de autorização de uso emergencial da vacina à Anvisa. A expectativa é de que o pedido seja realizado ainda esta semana.

Confira a nota conjunta dos Ministérios das Relações Exteriores e da Saúde sobre importação de vacinas da Índia:

“O governo brasileiro, por meio dos Ministérios da Saúde e das Relações Exteriores, esclarece que não há qualquer tipo de proibição oficial do governo da Índia para exportação de doses de vacina contra o novo coronavírus produzidas por farmacêuticas indianas.

As negociações entre a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Instituto Serum da Índia para a importação pelo Brasil de quantitativo inicial de doses de imunizantes contra a Covid-19 encontram-se em estágio avançado, com provável data de entrega em meados de janeiro.

O Secretário-Executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, reuniu-se ontem, 4 de janeiro, com o Embaixador da Índia em Brasília para tratar do tema. A Embaixada do Brasil em Nova Delhi, por sua vez, está em contato permanente com autoridades indianas para reforçar a importância do início da vacinação no Brasil.

Em nota conjunta, publicada hoje, 5 de janeiro, o Instituto Serum da Índia e a Bharat Biotech comunicaram a sua firme intenção de garantir acesso mundial a suas vacinas contra Covid-19. O CEO do Instituto Serum esclareceu, ainda, publicamente, que a exportação de vacinas produzidas na Índia é permitida para todos os países. Ministério da Saúde.”

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Não há verba no orçamento para pagar Banco do Brics, diz ministério
Governadores deixam reunião no Ministério da Saúde sem data para o início da vacinação no Brasil
Deixe seu comentário
Pode te interessar