Quarta-feira, 12 de Agosto de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
13°
Light Rain

Brasil Força Nacional fará segurança durante votação do impeachment para evitar confrontos entre grupos contrários e favoráveis a Dilma

Compartilhe esta notícia:

Com a aceitação do processo pelo Senado, em votação prevista para 12 de maio, Dilma será afastada do cargo por até 180 dias (Foto: ABr)

O governo do Distrito Federal afirmou que vai contar com a ajuda da Força Nacional para evitar conflitos entre grupos pró e contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff durante a votação do processo, prevista para ocorrer no próximo domingo (17). Desde sexta-feira (08), o Executivo já estava proibindo acampamentos em todo o Eixo Monumental, em Brasília. O governo do Distrito Federal diz que o reforço faz parte dos protocolos de segurança para grandes eventos.

De acordo com a secretária de Segurança Pública e Paz Social do DF, Márcia Alencar, os grupos serão divididos: os pró ficarão em um ponto de concentração próximo à Catedral Metropolitana (do lado do Eixo Monumental que fica no sentido do Congresso); os contra, perto do Teatro Nacional (do lado do Eixo Monumental no sentido contrário ao Congresso). Os pró não poderão estacionar na Asa Norte. Os contra estão proibidos de parar os carros na Asa Sul.

Trios elétricos não poderão circular na Esplanada. Eles só poderão ficar estacionados nas áreas específicas. Não será permitido levar garrafas de vidro, hastes de madeira ou fogos de artifício. Megafones serão recolhidos.

“Balões aéreos, de identificação dos movimentos, e bonecos e/ou símbolos provocativos ou ofensivos estão proibidos, independente do tamanho”, completou a secretária. Usados nos últimos protestos, patos infláveis e pixulecos também constam na lista de itens proibidos.

Alambrados serão instalados para evitar que os grupos pró e contra possam se ver. Além da Força Nacional, equipes das polícias Civil, Militar e Legislativa, Corpo de Bombeiros e Detran também atuarão na Operação Esplanada no período. O efetivo combinado pode chegar a 4.750 agentes.

A análise do processo de impeachment pelo plenário da Câmara dos Deputados deve começar na sexta-feira (15), com votação no dia 17. Todos os 25 partidos políticos com representação na Casa terão direito a uma hora de pronunciamentos no plenário. Apenas deputados, servidores, jornalistas credenciados e prestadores de serviços poderão entrar nas dependências da Câmara entre os dias 14 e 21 de abril. (AG)

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Terroristas pretendiam atacar a França novamente, afirma Procuradoria belga
Primeiro-ministro da Ucrânia renuncia ao cargo
Deixe seu comentário
Pode te interessar