Domingo, 14 de agosto de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Mist

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Geral G7 condena “ataque abominável” da Rússia contra shopping na Ucrânia

Compartilhe esta notícia:

Míssil atingiu um shopping na cidade de Kremenchuk, no centro da Ucrânia, nesta segunda-feira. (Foto: Reprodução)

Os líderes do G7 – grupo formado por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido – condenaram o “ataque abominável” cometido pelas tropas russas contra um shopping de Kremenchuk, na província centro-oriental de Poltava.

“Condenamos solenemente o abominável ataque a um shopping center em Kremenchuk. Juntamo-nos à Ucrânia no luto pelas vítimas inocentes deste ataque brutal. Ataques indiscriminados a civis inocentes são um crime de guerra. O presidente russo, Vladimir Putin, e os responsáveis serão responsabilizados”, diz o comunicado.

Os líderes do G7 enfatizaram ainda que reforçaram “o apoio inabalável à Ucrânia devido à agressão russa, uma guerra injustificada que dura 124 dias”.

“Continuaremos a prestar apoio financeiro e humanitário e militares para a Ucrânia, pelo tempo que for necessário”, concluiu a nota.

Um míssil atingiu um shopping na cidade de Kremenchuk, no centro da Ucrânia, nesta segunda-feira, deixando 16 mortos e destruindo completamente o edifício. O presidente Volodymyr Zelensky, que credita o ataque à Rússia, disse que havia “mais de mil pessoas” no local no momento do impacto e que é “impossível imaginar” o número de vítimas.

De acordo com serviços de emergência locais, além dos 16 mortos, 59 pessoas ficaram feridas no ataque. Imagens mostravam o centro comercial pegando fogo, com grandes colunas de fumaça e caminhões dos bombeiros.

As operações de resgate, afirmou no Telegram Kyrylo Tymochenko, chefe-adjunto do Gabinete presidencial do país, continuam no shopping, que ocupa um espaço aproximado de 10 mil metros quadrados. Segundo um repórter da agência Reuters, bombeiros e soldados reviram os escombros atrás de sobreviventes.

Em uma mensagem postada no Facebook, Zelensky disse que o prédio “não representava nenhum risco para o Exército russo. Nenhum valor estratégico. Apenas a tentativa do povo viver uma vida normal”:

“Os ocupantes dispararam um míssil contra um shopping onde havia mais de mil civis. O shopping está em chamas e as equipes de resgate combatem o fogo. O número de vítimas é impossível de imaginar”, postou o presidente, junto com um vídeo. “É inútil esperar decência e humanidade da Rússia.

Horas depois, em pronunciamento, chamou o ataque de “um dos atos terroristas mais ousados ​​da história europeia”.

“O Estado russo tornou-se a maior organização terrorista do mundo. E isso é um fato. E isso deve ser um fato jurídico. E todos no mundo devem saber que comprar ou transportar petróleo russo, manter contato com bancos russos, pagar impostos e taxas ao Estado russo é dar dinheiro a terroristas”, declarou Zelensky.

O presidente francês, Emmanuel Macron, em uma publicação em russo no Twitter, chamou o ataque de “horror completo”.

“Compartilhamos a dor das famílias das vítimas. E raiva diante de tanta maldade. O povo russo deve ver a verdade”, escreveu, compartilhando um vídeo do ataque.

Em um tuíte, o secretário de Estado americano, Antony Blinken, disse que o “mundo está horrorizado com o ataque de míssil” russo, “a mais recente em uma série de atrocidades”. As informações são da agência de notícias Ansa e do jornal O Globo.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Geral

Senado americano não aceita diplomata que seria a embaixadora dos Estados Unidos no Brasil
Decisão sobre aborto pela Suprema Corte dos Estados Unido desencadeia batalhas judiciais nos Estados
Deixe seu comentário
Pode te interessar