Domingo, 03 de julho de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Polícia Golpe dos nudes: presa quadrilha gaúcha que extorquiu R$ 500 mil de fazendeiro de Goiás

Compartilhe esta notícia:

Cinco criminosos foram presos durante a Operação Sem Fronteiras

Foto: Polícia Civil/Divulgação
Cinco criminosos foram presos durante a Operação Sem Fronteiras. (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

As Polícias Civis do Rio Grande do Sul e de Goiás deflagraram, na manhã desta quinta-feira (23), a Operação Sem Fronteiras para desarticular uma quadrilha que extorquiu um fazendeiro de Rio Verde (GO) aplicando o chamado golpe dos nudes.

Segundo as investigações, a vítima repassou cerca de R$ 500 mil aos criminosos. Cinco bandidos foram presos. Os agentes cumpriram 12 mandados de busca e apreensão em Novo Hamburgo, Taquara, São Leopoldo Charqueadas e Montenegro, incluindo estabelecimentos prisionais. Cinquenta policiais civis participaram da ação.

“No início deste ano, a vítima, um homem de aproximadamente 30 anos de idade, que reside em Rio Verde, cidade situada no Sudoeste de Goiás, iniciou contato com um perfil na rede social Instagram de uma jovem e bela garota. A conversa entre os dois ganhou cunho sexual e, então, um criminoso, se passando pelo suposto pai dessa garota, afirmou à vítima que a menina em questão era menor de idade e que aquelas conversas causaram a ela severos constrangimentos. Simulou-se a necessidade de tratamento psiquiátrico da menor e até mesmo o seu suicídio. Assim, exigiu-se da vítima uma compensação financeira para se reparar, material e moralmente, tais danos”, informou a Polícia Civil gaúcha.

“Em seguida, supostos advogados e autoridades públicas, falsos delegados de polícia e conselheiros tutelares entraram em contato com a vítima, informando-lhe que ela havia cometido ilícitos penais em razão das conversas de natureza sexual com a garota. Sob tal argumento, as pseudo autoridades, fingindo serem agentes públicos corruptos e fazendo a vítima crer que havia cometido ilícitos penais relacionados à pedofilia, exigiram quantias dela, para que ela não sofresse sanções criminais. Foram reiteradas as quantias extorquidas, sendo elas sempre precedidas de uma nova ameaça de punição legal, o que culminou no prejuízo de aproximadamente meio milhão de reais para a vítima”, prosseguiu a corporação.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Polícia

Projeto propõe o fim dos zoológicos no Rio Grande do Sul
Jantar em homenagem ao ministro do Supremo Gilmar Mendes reúne Bolsonaro e adversários políticos
Deixe seu comentário
Pode te interessar