Quarta-feira, 06 de julho de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
19°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Saúde Hepatite misteriosa em crianças: Drauzio Varella lista sintomas da doença e faz alerta aos pais

Compartilhe esta notícia:

"Não há motivos para alarde. É natural ter medo... Mas os pais devem ficar atentos aos sintomas", diz o médico. (Foto: Reprodução/YouTube)

A hepatite misteriosa em crianças mundo afora está sendo investigada por diferentes pesquisadores e, apesar da preocupação com a saúde após a pandemia da covid, o médico Drauzio Varella listou alguns sintomas da doença e faz alerta aos pais.

“Não há motivos para alarde. É natural ter medo… Mas os pais devem ficar atentos aos seguintes sintomas: vômitos e diarreia por vários dias, pele e olhos amarelados. Urina escura, fezes esbranquiçadas, sangramento ao escovar os dentes e irritabilidade. Nesse caso, não perca tempo, leve a criança ao médico”, afirma o doutor.

O Ministério da Saúde informou nesta segunda-feira (23), que 64 casos suspeitos da hepatite fulminante de origem desconhecida em crianças estão sendo investigados no Brasil. Até o momento, nenhuma notificação foi confirmada e 12 registros foram descartados. A doença, que tem sido investigada em países da Europa e nos Estados Unidos, pode ter relação com o subtipo 41 do adenovírus, mas a causa ainda não foi descoberta.

De acordo com a pasta, 15 Estados monitoram episódios. São 24 em São Paulo, oito em Minas Gerais, cinco no Rio Grande do Sul, cinco em Pernambuco, quatro no Rio de Janeiro, três no Mato Grosso do Sul, três em Santa Catarina. As demais notificações foram feitas por Paraná (2), Espírito Santo (2), Goiás (2), Ceará (2), Rio Grande do Norte (1), Maranhão (1), Rondônia (1) e Paraíba (1).

Também nesta segunda, a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro informou que uma criança de 4 anos, um dos casos suspeitos, precisou fazer um transplante de fígado, mas já recebeu alta. De acordo com a secretaria, o procedimento foi realizado 24 horas após piora do quadro clínico no Hospital Estadual da Criança, referência em transplante hepático pediátrico no Estado. Testes apontaram que a criança estava infectada por adenovírus.

Segundo o ministério, os Centros de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde e a Rede Nacional de Vigilância Hospitalar estão monitorando alterações do perfil epidemiológico e a detecção de casos suspeitos da doença. A orientação da pasta é que qualquer suspeita deve ser notificada imediatamente pelos profissionais de saúde.

Para analisar os casos, a ministério instalou uma Sala de Situação que conta com a participação de especialistas do ministério e da Organização Pan-Americana da Saúde.

Os primeiros registros da hepatite fulminante em crianças foram feitos em países europeus e se concentravam principalmente no Reino Unido. Segundo a Organização Mundial da Saúde, 22 países registraram a doença misteriosa e 26 crianças precisaram de transplante de fígado. Em levantamento do dia 25 de abril, a Organização Mundial da Saúde tinha detectado 17 episódios que precisaram fazer o procedimento.

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Saúde

Cresce suspeita de ligação entre o vírus de hepatite e a covid
Tomate transgênico pode ser fonte vegana de vitamina D
Deixe seu comentário
Pode te interessar