Sexta-feira, 07 de Agosto de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre

Colunistas Jair Bolsonaro adverte que “fechamento do comércio causa recessão, miséria e o socialismo”

Compartilhe esta notícia:

Jair Bolsonaro conversou com jornalistas ao lado do prefeito de Bagé, Divaldo Lara. (Foto: Reprodução)

“O fechamento do comércio provoca recessão, e em cima da miséria vem o socialismo. É isso que vocês querem para o Brasil?”, indagou ontem o presidente Jair Bolsonaro, ao conversar com jornalistas depois da solenidade de entrega de um condomínio residencial do programa Minha Casa Minha Vida em Bagé, no Rio Grande do Sul. A obra foi lançada ainda em 2012, e desde então estava paralisada. Ele explicou que “não tive problema nenhum, zero”, referindo-se à recuperação pelo contágio do Covid-19. Segundo ele, o “mofo o pulmão”, que mencionou há alguns dias, “foi maneira de dizer”. Comentou que “a grande mídia me massacrava, e eu sempre falei: não tem como fugir, ninguém vai escapar. Eu sabia que um dia eu ia pegar, e creio que quase todos vocês ainda vão pegar também. Porém, temos que ir em frente. Lamento muito as mortes que têm todos os dias, mas faz parte de vida. Eu estudei a cloroquina, junto de médicos. E quando você não tem alternativa, não proíba. Todos sabemos que não tem comprovação científica, mas também não há comprovação e ninguém dizendo que não funciona”, argumentou na coletiva de ontem com os jornalistas em Bagé.

Exército apóia solução para a nova barragem em Bagé

O presidente anunciou que, depois de ouvir o prefeito Divaldo Lara durante o voo desde Brasília – o prefeito acompanhou o presidente na comitiva oficial – sobre as dificuldades com o abastecimento de água, pediu providencias ao Comandante do Exército, general Leal Pujol. A proposta prevê que obra da nova Barragem da Arvorezinha seja retomada sob a responsabilidade do Exército. E, se isso ocorrer, acredita em resultado rápido. “O prefeito falou comigo, tá tudo desenrolado juridicamente. Ele gostaria que o Exército fizesse a obra. Já fiz alguns contatos e o levantamento está sendo feito. Se der pra fazer, acredito que o Exército fará em tempo recorde”, aposta.

Na Serra gaúcha, prefeitos desobedecem ordem de fechar comércio e serviços

Percebendo a inutilidade do abre e fecha para conter o vírus, os prefeitos de 27 municípios da Serra do Rio Grande do Sul decidiram editar decretos municipais que flexibilizam as atividades. Eles discordam da atual política estadual de distanciamento social controlado e decidiram autorizar a retomada das atividades econômicas e humanas proibidas pelo decreto do governador que os colocou sob bandeira vermelha, que impõe restrições severas.

Agora ministro Alexandre de Moraes quer bloquear Facebook em todo o planeta!

O Facebook recorreu da decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, que ampliou nesta sexta-feira, de R$ 20 mil para R$ 100 mil a multa diária aplicada por descumprimento da determinação de bloquear fora do País perfis de jornalistas, empresários e políticos ligados ao presidente Bolsonaro que são alvos do inquérito das fake news. Na prática, a decisão do ministro do STF, contestada pelo Facebook – mas que será cumprida enquanto recorre – implica em censurar contas no mundo inteiro.

Bom senso em Porto Alegre. Volta o futebol.

O prefeito Marchezan Júnior (PSDB) tomou ontem uma decisão de bom senso: permitiu o retorno do futebol nos estádios da dupla GreNal: Arena e Beira-Rio, sem a presença de público. A medida corrige um equívoco, mas mantém outro: a permanência do comércio e de vários segmentos empresariais fechados na capital gaúcha, o que não tem alterado em nada o percurso do vírus. O prefeito avisou que nas próximas semanas ocorrerão possíveis flexibilizações nas atividades econômicas e humanas de Porto Alegre.

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Colunistas

A nota de R$ 200 e o lobo-guará
Fatos históricos do dia 1º de agosto
Deixe seu comentário
Pode te interessar