Domingo, 05 de Abril de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
25°
Fair

Brasil Lula disse que respeita o resultado das urnas, mas acha que o PT devia ter brigado mais

Ex-presidente ainda ressaltou que cabe ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) governar. (Foto: Joka Madruga/Agência PT)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quarta-feira (20) respeitar “o resultado das urnas” em relação às eleições presidenciais de 2018, mas fez uma ressalva: “acho que o PT devia ter brigado mais”.

“Sou um cara que já perdeu muitas eleições, e quando eu perco, respeito o resultado. Mas acho que o PT deveria ter protestado mais na vitória do Bolsonaro, que foi ilícita, foi um roubo aquela indústria das fake news”, afirmou o ex-presidente, que está solto desde o dia 8 de novembro, depois de cumprir ficar preso por 580 dias na sede da Polícia Federal em Curitiba.

As afirmações foram feitas em entrevista ao blog Nocaute.

Segundo Lula, cabe ao presidente Jair Bolsonaro (PSL) governar, já que “ele não cometeu crime de responsabilidade ainda provado” “Ma não me peçam paciência com Bolsonaro, Moro ou Dellagnol”.

“Quero recuperar o respeito que eu ganhei na sociedade brasileira durante a minha vida”, disse petista, se referindo também ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, e ao coordenador da Lava-Jato em Curitiba, o procurador Deltan Dallagnol.

Ciro

Em sua primeira entrevista dada fora da prisão, o ex-presidente Lula falou ao site Nocaute sobre os ataques feitos por Ciro Gomes e a ida do pedetista a Paris durante o segundo turno das eleições de 2018, optando por não apoiar o representante do PT nas eleições, Fernando Haddad.

Em seu Twitter, o ex-presidente ressaltou o que tinha dito em entrevista a Fernando Morais, Aline Piva e Ana Roxo. “Eu fico pesando o que o Ciro fez. As coisas boas e ruins, e prefiro ficar com as boas. Ele nos ajudou no governo. Agora, ele escolheu ir pra Paris no segundo turno e xingar o povo que votou no Haddad e não nele”.

Na entrevista ele defendeu que o PT tenha candidato próprio nas eleições de 2022. E sobre a cobrança insistente de vários setores da necessidade de que o PT faça uma autocrítica, Lula disse: “Se você tem críticas pra fazer ao PT, faça. Mas se eu ficar toda hora fazendo autocrítica, aí nem precisamos de oposição”.

O ex-presidente negou ter solicitado uma reunião com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Críticas foram feitas ao ministro Sérgio Moro e ao procurador da Lava-Jato Deltan Dallagnol pela condenação, segundo Lula sem provas, no processo do triplex em Guarujá (SP).

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Os pedidos para destituir ministros do Supremo batem recorde na história do Brasil
Um ex-ministro do Supremo acusa o ex-ministro Palocci de mentir em delação e tentar fraudar a Justiça
Deixe seu comentário
Pode te interessar