Domingo, 29 de Novembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
27°
Partly Cloudy

Rio Grande do Sul Mais de 50% dos servidores gaúchos de nível superior já sofreram tentativas de suborno, aponta pesquisa

Compartilhe esta notícia:

Servidores receberam ofertas de presentes e de propina

Foto: Reprodução
Servidores receberam ofertas de presentes e de propina. (Foto: Reprodução)

Uma pesquisa inédita aponta que 52,2% dos servidores públicos de nível superior do Rio Grande do Sul relataram já terem sofrido algum tipo de tentativa de suborno. Dos 366 entrevistados no levantamento, 191 declararam que foram assediados com propostas ilegais.

Desses, 49,2% receberam ofertas de presentes e 33% de propina. Os dados fazem parte da dissertação de mestrado do psicólogo Felipe Vilanova, do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da PUCRS. O estudo, realizado com associados do Sintergs (Sindicato dos Servidores de Nível Superior do Poder Executivo do RS) entre fevereiro e maio de 2020, foi apresentado nesta quarta-feira (28), Dia do Servidor Público, em coletiva de imprensa virtual.

As respostas mostram que, para os trabalhadores de nível superior do Poder Executivo, as ações adotadas pelos governos nos últimos três anos são insuficientes para coibir a corrupção. Para 42,2%, as medidas foram ineficientes, e 22,5% indicaram que nada mudou.

Em relação ao engajamento em comportamentos corruptos, a média entre os servidores foi de 1,67 – em uma escala de um a nove. O indicador é uma média das respostas para cinco perguntas da pesquisa. Em estudo realizado anteriormente pelo pesquisador com trabalhadores da iniciativa privada, a média foi de 2,29.

“A pesquisa evidencia a baixíssima tendência à corrupção por parte dos servidores gaúchos, o que contrapõe as narrativas construídas contra o funcionalismo. O acesso às carreiras públicas, com concurso, estabilidade e todas as garantias, é peça fundamental para que se mantenha a boa prestação do serviço e se evite atos de corrupção, o que está em risco com a reforma administrativa”, afirmou o presidente do Sintergs, Antonio Augusto Medeiros.

Perfil dos participantes da pesquisa:

  • 366 pessoas, entre 28 e 86 anos, todos associados ao Sintergs
  • 91% se declararam brancos
  • 75,7% têm alguma crença espiritual ou religião
  • 65,5% estão na ativa
  • 63,4% são mulheres
  • 49,7% são da classe C
  • 48,1% desempenham atividade de fiscalização
  • 85,2% não têm filiação partidária

Cartilha

Com o objetivo de contribuir para as boas práticas no serviço público, o Sintergs lançou nesta quarta-feira uma cartilha com diretrizes para combater a corrupção

Pesquisa foi apresentada no Dia do Servidor Público, em coletiva de imprensa virtual. (Foto: Divulgação)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Papa celebrará a missa de Finados sem público por causa do coronavírus
O Rio Grande do Sul registra 34 novas mortes por coronavírus e chega a quase 5.700 óbitos
Deixe seu comentário
Pode te interessar