Segunda-feira, 01 de Junho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
10°
Fair

Brasil Médica é demitida após um paciente filmar a consulta no posto de saúde

Compartilhe esta notícia:

Profissional teria alegado que não fez uso de álcool. Caso está sendo apurado. (Crédito: Reprodução)

Uma médica da unidade central de pronto-atendimento municipal 24 horas de Piraquara, em Curitiba, no Paraná, foi demitida depois que um homem gravou um vídeo da profissional em consulta. As imagens gravadas mostram a médica confusa, com movimentos lentos e aparentemente embriagada atendendo uma criança.  O vídeo foi publicado no Facebook pela mãe do paciente e teve mais de 3 mil compartilhamentos em um dia.

Profissional parecia bêbada. 

Na postagem, a mulher diz que a médica parecia “bêbada”, que não conseguia escrever e não sabia o que estava fazendo. Ela relata que a profissional não perguntou nada à família, derrubou papéis no chão, além de errar o nome da criança. “Não conseguia nem escrever. Um absurdo isso. Não perguntava nada, derrubou os papéis no chão. Uma profissional que tem que cuidar da saúde das pessoas desse jeito ninguém merece. Meu filho eu não levo mais nesse lugar”, escreveu a mãe.

Apurações do caso. 

A secretária de Saúde de Piraquara, Maristela Zanela, afirma que a médica propôs fazer por conta própria um exame para provar que não estava sob efeito de álcool. “Temos a informação de que ela fez uso de uma medicação. Foi isso que ela manifestou, que não estava fazendo uso de álcool. Ela se propôs a fazer o exame toxicológico para confirmar isso. À princípio se descarta uso de álcool. Mas isso tudo está sendo apurado.”

De acordo com a assessoria da prefeitura de Piraquara, foi instaurado uma sindicância para investigar a conduta da médica. Ela trabalhava na empresa Shalon Med, firma terceirizada que presta serviços à prefeitura. A empresa ficará responsável por pedir um exame toxicológico para avaliar se a médica estava sob efeito de alguma substância durante o expediente. A prefeitura deve encaminhar um relatório do caso ao CRM (Conselho Regional de Medicina) para mais apurações. A médica não foi encontrada pela reportagem.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Ex-seminarista da Paraíba diz ter sofrido assédio sexual de arcebispo Dom Aldo
Rapaz recebe bilhete com ameaça dos vizinhos, que prometeram colocar fogo nele se continuar fazendo barulho
Deixe seu comentário
Pode te interessar