Quinta-feira, 09 de dezembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
19°
Partly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Brasil Mercado de trabalho piora e taxa de desemprego deve atingir 10% em 2016

Compartilhe esta notícia:

(Foto: Fernando Donasci/Folhapress)

O efeito mais perverso da crise econômica deve rondar o Brasil pelos próximos anos. A piora do mercado de trabalho vai se acentuar e empurrar a taxa de desemprego para mais de 10% no ano que vem. De abrangência nacional, o desemprego medido pela Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua caminha para superar os 10% no primeiro trimestre do ano que vem.

No trimestre encerrado em agosto, o desemprego apurado pela pesquisa foi de 8,7%, o maior patamar da série histórica iniciada em 2012. O contingente de desocupados chegou a 8,8 milhões de pessoas, um aumento de 2 milhões na comparação com o mesmo período do ano passado.

Pela PME (Pesquisa Mensal de Emprego), cujo levantamento engloba as regiões metropolitanas de São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e Recife, a piora no mercado de trabalho também fica evidente. Em setembro, a desocupação chegou a 7,6%, o pior resultado para o mês desde 2009. Eram 1,9 milhão de desempregados, 670 mil pessoas a mais do que no mesmo mês de 2014. A última vez que a desocupação superou os dois dígitos na pesquisa foi em maio de 2007.

A retração do mercado de trabalho pode ser explicada pela recessão de 2015, a mais intensa desde 1990, e a perspectiva de uma nova queda da atividade econômica no ano que vem. Como resultado, grandes setores empregadores, como a construção civil e a indústria de transformação, passaram a demitir em um ritmo intenso, e as atividades que ainda mostravam um certo vigor dão sinais de fraqueza. (AE)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Governo do Brasil avalia alta do nível de risco dos jogos do Rio 2016
Petrobras estuda vender divisão de biocombustíveis que acumula prejuízos de 1,5 bilhão de reais desde 2008, quando foi criada
Deixe seu comentário
Pode te interessar