Terça-feira, 18 de Maio de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Cloudy

Esporte Michael Jordan, melhor jogador de basquete de todos os tempos, é escolhido para homenagear o astro Kobe Bryant que morreu em janeiro do ano passado

Compartilhe esta notícia:

Michael Jordan e Kobe Bryant no All-Star Game. (Foto: NBAE via Getty Images)

Kobe Bryant sempre quis ser Michael Jordan. Foi um jogador brilhante e ficou perto de alcançar o objetivo em 20 temporadas na NBA. Morto em um acidente de helicóptero, no dia 26 de janeiro de 2020, o astro do Los Angeles Lakers será eternizado no Hall da Fama do Basquete no dia 15 de maio e MJ foi escolhido para apresentá-lo.

Além de Kobe, Tim Duncan, Kevin Garnett, Patrick Baumann, Tamika Catchings, Kim Mulkey, Barbara Stevens, Eddie Sutton e Rudy Tomjanovich são os representantes da classe de 2020 do Hall da Fama.

Duncan, por exemplo, será apresentado David Robinson, seu ex-companheiro no San Antonio Spurs e que faz parte do Hall da Fama desde 2009.

Kobe faturou cinco títulos da maior liga de basquete do mundo, dois prêmios de MVP (jogador mais valioso) das finais, um de MVP da temporada regular, além de 18 indicações para o All-Star Game, o tradicional Jogo das Estrelas. Foram ainda dois ouros olímpicos pela seleção americana, em Pequim-2008 e Londres-2012.

Ele era um competidor feroz. Ao longo da carreira, colecionou admiradores na mesma proporção que desafetos. Brigava até com companheiros de equipe, não hesitava em criticá-los publicamente depois de um jogo ruim. Nunca aceitava derrotas com naturalidade, algo que, muitas vezes, se faz necessário no esporte.

A despedida das quadras aconteceu em 13 de abril de 2016, com uma atuação brilhante, anotando 60 pontos em uma vitória (não poderia ser diferente) sobre o Utah Jazz.

Na partida diante do Utah Jazz, que brigava pela última vaga aos playoffs da temporada 2015-2016, o Los Angeles Lakers fazia a última partida daquela campanha, já eliminado. No entanto, todo o mundo queria ver, pela última vez, o camisa 24 atuando.

Embora Kobe não tenha feito uma temporada ao nível de sua passagem pela liga, aquela foi marcada por sua despedida. Desde o anúncio que iria se aposentar, Bryant foi aplaudido e venerado por todas as torcidas rivais.

Então, naquele dia 13 de abril, Kobe parava de jogar. Ele deixava um legado de vitórias e lealdade ao Lakers. Foram 1.345 partidas (todas pela equipe californiana) antes daquela vitória sobre o Jazz. Bryant precisou de 50 arremessos para atingir os 60 pontos. Um volume elevado, é verdade. Mas, ali, pouco importava quantos mais ele arriscasse. E ele foi incrível desde o primeiro minuto em quadra. Exausto, ainda discursou ao fim daquele embate, agradecendo e sendo venerado por torcida e convidados.

Naquela noite, ele tornou-se o jogador mais velho a atingir a marca de 60 pontos. Sensacional!

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Esporte

O PSG entra na disputa com o Bayern para contratar peça que pode ajudar Neymar
A Seleção Brasileira feminina de futebol sobe mais uma posição no ranking da Fifa e ocupa agora o sétimo lugar
Deixe seu comentário
Pode te interessar