Terça-feira, 18 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
26°
Mostly Cloudy

Saúde Minas Gerais registra suspeita de coronavírus em Belo Horizonte

A paciente chegou da China e está clinicamente estável no Hospital Eduardo de Menezes.

Foto: Alexandra Marques/Fhemig
A paciente chegou da China e está clinicamente estável no Hospital Eduardo de Menezes. (Foto: Alexandra Marques/Fhemig)

A SES-MG (Secretaria de Saúde de Minas Gerais) investiga suspeita do primeiro caso de Coronavírus no Brasil. Trata-se de uma mulher brasileira de 35 anos que esteve recentemente na cidade chinesa de Shangai e chegou a Belo Horizonte no dia 18 de janeiro com sintomas respiratórios compatíveis com aqueles associados ao coronavírus.

O caso é tratado como suspeito e não como uma confirmação. A paciente foi levada ao Hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte, e as medidas assistenciais para redução de risco foram tomadas. Segundo a secretaria, a paciente está clinicamente estável.

A paciente relatou à equipe de Vigilância em Saúde da secretaria que não esteve na região de Wuhan, na China, onde foram registrados casos de transmissão ativa da doença. O caso segue sendo investigado e os exames para confirmar ou descartar a possibilidade de se tratar do coronavírus estão em andamento.

Apesar da investigação feita pela secretaria em Minas Gerais, o ministério da Saúde disse, em nota, que o caso “não se enquadra na definição de caso suspeito”. Ao fazer essa afirmação, a pasta considera o fato da paciente não ter estado em Wuhan.

“De acordo com a definição atual da OMS (Organização Mundial de Saúde), só há transmissão ativa do vírus na província de Wuhan”. O ministério também esclareceu que está monitorando a situação e outras medidas cabíveis serão tomadas assim que a OMS definir a situação de emergência.

Os sinais e sintomas clínicos do coronavírus, também chamado de pneumonia indeterminada, são, principalmente, febre, dor, dificuldade em respirar em alguns pacientes e infiltrado pulmonar bilateral.

O que sabe a secretaria

Segundo a Secretaria de Saúde de Minas Gerais, na terça-feira (21) foi identificada na UPA Centro Sul de Belo Horizonte uma paciente, brasileira, de 35 anos, proveniente de Shangai, na China, e que desembarcou em Belo Horizonte no sábado (18), com sintomas respiratórios, compatíveis com doença respiratória viral aguda.

O caso foi notificado como suspeito. Tendo em vista o contexto epidemiológico atual do país onde a paciente esteve, foi considerada a hipótese de doença causada pelo novo Coronavírus, que é micro-organismo de alerta sanitário internacional, considerando o potencial pandêmico com alto risco à vida e impacto assistencial.

Apesar de não apresentar qualquer sinal indicativo de gravidade clínica, a paciente foi conduzida para o HEM para observação cuidadosa em ambiente hospitalar. O HEM (Hospital Eduardo de Menezes) foi prontamente acionado pelo CIEVS-MG e CIEVS-BH e se organizou em poucos minutos para receber a paciente. Todas as medidas assistenciais para redução de risco de transmissão foram tomadas.

Este caso foi notificado como suspeito para Coronavírus e a paciente está clinicamente estável e o caso segue em investigação.

Conforme informações que foram repassadas pela paciente ao CIEVS BH, ela relatou que não esteve na região de Wunhan e que também não teve contato com pessoa sintomática na China.

Os exames capazes de confirmar ou descartar a hipótese diagnóstica encontram-se em andamento em laboratórios de referência.

O HEM é referência estadual para o atendimento de doenças infectocontagiosas, emergências em saúde pública e atenção aos agravos de interesse sanitário e que para esses casos é necessária resposta rápida e qualificada, com isolamento em área específica e monitoramento clínico cuidadoso e de resultados de exames.

Alerta regionais

A Secretaria de Saúde de Minas Gerais também relatou que na segunda-feira (20), a OPS (Organização Pan Americana de Saúde) emitiu o Alerta Novo Corononavírus. De acordo com o documento, diante da situação, a OMS (Organização Mundial da Saúde) e a OPS (Organização Panamericana de Saúde) orientam os Estados Membros a fortalecerem as atividades de vigilância para detectar qualquer evento incomum de saúde respiratória.

A SES-MG emitiu o alerta para as unidades regionais de saúde, que repassarão a orientação da OMS e da OPAS aos municípios mineiros.

Coronavírus

Os coronavírus (CoV) são uma grande família viral, conhecidos desde meados dos anos 1960, que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais. Geralmente, infecções por coronavírus causam doenças respiratórias leves a moderadas, semelhantes a um resfriado comum. A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem. Segundo informações divulgadas pelo Centro de Controle de Doenças Americado – CDC e Organização Mundial da Saúde – WHO, as autoridades chinesas relataram que um novo coronavírus (nCoV) foi identificado no país. Atualmente são 300 casos confirmados na China.

No dia 21 de janeiro de 2020 foi identificado o primeiro caso nos EUA. Também já foram identificados casos em outros países (Japão, Tailândia, Coreia do Sul), todos os casos identificados foram de pessoas que estiveram na região de transmissão.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Saúde

A abstinência sexual proposta pelo governo não vai vingar, dizem jovens
Ministério da Saúde descarta possibilidade de Coronavírus em Minas Gerais
Deixe seu comentário
Pode te interessar