Domingo, 14 de agosto de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Mist

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Ciência Ministério da Saúde confirma 76 casos de varíola dos macacos no Brasil

Compartilhe esta notícia:

Pesquisadores pedem que diretrizes de saúde sejam atualizadas com as manifestações. (Foto: Reprodução)

O Brasil já conta com 76 casos confirmados em seis Estados e no Distrito Federal. A informação foi divulgada pelo Ministério da Saúde no domingo (3). O Estado com maior incidência é São Paulo, com 52 casos, seguido pelo Rio de Janeiro, com 16. Os estados do Ceará, Minas Gerais e Rio Grande do Sul registraram dois infectados. Rio Grande do Norte e Distrito Federal divulgaram um caso.

Para monitorar a disseminação da doença no país, o Ministério da Saúde criou uma Sala de Situação. A partir desse mecanismo, a pasta mantém contato direto com secretarias de saúde para identificar casos possíveis de varíola dos macacos. O ministério afirmou ainda que está em articulação com as secretarias estaduais de saúde para continuar monitorando o surgimento de novos casos e rastrear as pessoas que tiveram contato próximo com os infectados. O ministério diz ainda que segue em articulação direta com os estados para monitoramento dos casos e rastreamento dos contatos dos pacientes.

Conforme nota oficial, “até o momento, 76 casos de monkeypox foram confirmados no Brasil, sendo um do Distrito Federal, um no Rio Grande do Norte, dois em Minas Gerais, dois no Rio Grande do Sul, dois no Ceará, 16 no Rio de Janeiro e 52 em São Paulo. A Pasta, por meio da Sala de Situação e CIEVS Nacional, segue em articulação direta com os estados para monitoramento dos casos e rastreamento dos contatos dos pacientes.”

Surto global

Nos últimos meses houve um surto da doença na Europa e nos Estados Unidos. O primeiro caso no Brasil foi registrado no dia 8 de junho. No fim de junho, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou que, no momento, a situação não se configura como uma emergência de saúde de importância internacional. Isso significa que a OMS, apesar de admitir preocupação com a doença, entende que o surto não é tão grave, por exemplo, como a pandemia de covid.

Autoridades sanitárias têm dito que o poder de contágio da varíola dos macacos é menor que o da covid, assim como a ocorrência de casos graves da doença.

Sintomas da doença

Os sintomas da doença aparecem de 5 a 21 dias depois da infecção e duram de duas a 4 semanas. Os sinais iniciais são febre, dor de cabeça, dores musculares e nas costas, linfonodos inchados e arrepios. De 1 a 3 dias depois do aparecimento da febre, surgem erupções cutâneas (manchas, lesões, ou bolhas com líquido na pele).

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros, pede atenção a esses sintomas. “Precisamos ficar atentos a qualquer sintoma. Em caso de aparecimento [de algum sinal], procure sua unidade básica de saúde. Vá ao médico. Porque o médico vai lhe examinar. Ele vai saber fazer o diagnóstico e vai saber dar a condução clínica adequada para o seu caso”, disse Medeiros.

O secretário afirmou que pessoas com casos suspeitos ou confirmados devem ficar em isolamento (em hospitais ou nas suas casas) para não transmitirem a doença a outras pessoas. “As roupas de cama e o material de uso pessoal [da pessoa infectada ou com suspeita da doença] devem ser esterilizados, lavados muitas vezes com água e sabão e passar água quente para fazer a descontaminação. Isso é extremamente importante”, disse.

 

 

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Ciência

Nasa vai mostrar “a imagem mais profunda já feita do universo” este mês
Física quântica: acelerador de partículas mais poderoso do mundo é religado
Deixe seu comentário
Pode te interessar