Sábado, 30 de Maio de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Fair

Agro Ministério Público do Trabalho investiga o controle da Covid-19 em 61 frigoríficos em 11 Estados

Compartilhe esta notícia:

Considerado serviço essencial, o setor de carnes não parou as atividades em meio às medidas de isolamento social

Foto: Divulgação/Abiec
Considerado serviço essencial, o setor de carnes não parou as atividades em meio às medidas de isolamento social. (Foto: Divulgação/Abiec)

Mais de 60 frigoríficos em 11 Estados brasileiros, entre eles o Rio Grande do Sul, estão na mira do MPT (Ministério Público do Trabalho), que vai avaliar as condições de trabalho nesses locais durante a pandemia do novo coronavírus.

Considerado serviço essencial, o setor de carnes não parou as atividades em meio às medidas de isolamento social impostas por Estados e municípios e costuma ter aglomeração de pessoas na linha de produção. Com isso, há a preocupação de que a Covid-19 possa se espalhar entre esses profissionais.

A continuidade da produção de alimentos foi um pedido do Ministério da Agricultura ao governo para que o abastecimento do País não fosse comprometido, bem como as exportações do setor, que rendem bilhões de dólares.

“Há uma imensa preocupação do MPT com os trabalhadores de frigoríficos diante das características científicas evidenciadas da forma do contágio e da realidade de como é exercido o trabalho no setor”, explica o procurador Lincoln Cordeiro.

O MPT vai avaliar 61 unidades de processamento de bovinos, aves e suínos. Elas não tiveram seus nomes divulgados por conta do sigilo das ações. O número de unidades inspecionadas pelos procuradores equivale a 13,7% dos 446 frigoríficos que existem no Brasil, segundo dados do Ministério da Agricultura. São 145 procedimentos, surgidos a partir de denúncias ou de iniciativas dos próprios procuradores.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Agro

Municípios brasileiros começam a receber recursos destinados à assistência social
Justiça Federal gaúcha condena pela terceira vez um professor por compartilhar pornografia infantil
Deixe seu comentário
Pode te interessar