Sábado, 08 de Maio de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
24°
Mostly Cloudy / Wind

Política Ministro da Secretaria de Governo, general Ramos é transferido para a reserva

Compartilhe esta notícia:

Luiz Eduardo Ramos (foto) vinha conversando com Bolsonaro sobre ir para a reserva e se dedicar mais à articulação política

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Luiz Eduardo Ramos (foto) vinha conversando com Bolsonaro sobre ir para a reserva e se dedicar mais à articulação política. (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

O general quatro estrelas do Exército e ministro da Secretaria de Governo Luiz Eduardo Ramos foi transferido para a reserva remunerada. A decisão foi publicada na madrugada desta quinta-feira (16) no Diário Oficial da União.

O general pretendia aposentar a farda, migrando para a reserva. Há cerca de um mês, ele vinha conversando com o presidente Jair Bolsonaro sobre o desejo de passar para a reserva do Exército e se dedicar mais à articulação política do governo, pela qual negocia com partidos políticos.

“Completo 1 ano compondo o time do nosso Presidente @jairbolsonaro, agora não mais na ativa, e sigo firme no compromisso de construir um Brasil digno para os brasileiros, com os mesmos valores conservadores do nosso Presidente”, postou Ramos no Twitter.

Ramos já havia comunicado ao Alto Comando do Exército sobre seu desejo de ir para a reserva. Aliados dele afirmaram que o ministro tomou a decisão “irrevogável” para acabar com especulações de que haveria envolvimento de militares da ativa na política. A ida para a reserva, segundo a colunista, também sinaliza a crença de Ramos de que o governo de Jair Bolsonaro dará certo.

Ramos foi para a Secretaria de Governo em junho de 2019, no lugar de Carlos Alberto dos Santos Cruz, general de reserva do Exército que deixou o cargo em 13 de junho do ano passado. O objetivo do presidente Jair Bolsonaro com a mudança à época foi evitar um atrito com a ala militar do governo.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Abono salarial PIS-Pasep começa a ser pago para não clientes da Caixa e do Banco do Brasil
Presidente do Senado diz que a Casa não votará proposta da reforma tributária se não for “inserido” nas discussões sobre o texto
Deixe seu comentário
Pode te interessar