Sábado, 22 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Fair

Brasil Mortes violentas no Brasil caíram 21% entre janeiro e setembro, diz o governo

Os dados são do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, do Ministério da Justiça

Foto: Agência Brasil
Os dados são do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, do Ministério da Justiça. (Foto: Tânia Rego/ABr)

O Brasil teve uma redução de 21% no número de assassinatos nos primeiros nove meses de 2019 em comparação com o mesmo período de 2018. Os dados são do Sinesp (Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, e foram divulgados pela pasta nesta quinta-feira (16).

O Sinesp aponta que, entre janeiro e setembro do ano passado, foram registradas em todo o País 31.334 mortes violentas – que incluem homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte, os chamados CVLI (Crimes Violentos Letais Intencionais). Já no mesmo período de 2018, foram 39.793 casos.

A queda já havia sido antecipada pelo Monitor da Violência, em novembro do ano passado, através do índice nacional de homicídios, ferramenta criada para acompanhar as estatísticas de mortes violentas no País mês a mês.

A tendência de redução nos assassinatos do País tem sido mostrada desde o balanço de 2018 – a maior queda dos últimos 11 anos da série histórica do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, com 13%. Já no 1º semestre de 2019, a queda foi de 22% – percentual que se manteve ao longo do ano.

A redução apontada pelos dados do Sinesp foi comemorada pelo ministro da Justiça e Segurança, Sérgio Moro, no Twitter nesta quinta-feira, que também destacou que outros crimes, como estupro, furto de veículos e roubo de carga, também caíram no período. O Sinesp foi lançado em março de 2019 pelo governo federal e tem dados de janeiro de 2018 a setembro de 2019.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Final de semana será de praias próprias para banho em Porto Alegre
Festa de Navegantes atesta peso de eventos religiosos em Porto Alegre
Deixe seu comentário
Pode te interessar