Terça-feira, 24 de Novembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Fair

Notícias Mozart e Tchaikovsky são os destaques da Ospa no concerto deste sábado, com regência de um maestro da Finlândia

Compartilhe esta notícia:

Apresentação também tem a a flautista Claudia Nascimento nos solos. (Foto: Maurício Paz/Ospa)

Em mais uma edição da série Pablo Komlós, a Ospa (Orquestra Sinfônica de Porto Alegre) apresenta às 17h deste sábado, em sua sede no Centro Administrivo, uma seleção especial de música clássica às 17h, destacando dois dos maiores nomes do gênero: o austríaco Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791) e o russo Piotr Ilitch Tchaikovsky (1840-1893). Mais informações pelo telefone (51) 3222-7387 ou em www.ospa.org.br.

O concerto tem regência do premiado maestro islandês Gudni Emilsson, regente titular da Filarmônica da Tailândia. Outra atração especial é a participação da flautista Claudia Nascimento nos solos. Os ingressos custam de R$ 10 a R$ 40 e podem ser adquiridos no site da Uhuu, na bilheteria do Teatro do Bourbon Country ou no local, no dia do evento.

A apresentação tem inicio com “Concerto de Flauta Nº 1 em Sol Maior, K. 313”, escrito em 1778 por Mozart sob encomenda do instrumentista holandês Ferdinand De Jean em 1777. O compositor deveria fornecer quatro quartetos de flauta e três concertos de flauta, mas só completou dois.

Essa peça é pontuada para um conjunto-padrão de cordas orquestrais, dois oboés (substituídos por duas flautas no movimento Adagio) e duas trompas. A composição é dividida em três movimentos: “Allegro Majestoso, “Adagio Ma Non Troppo” e “Rondo: Tempo di Menuetto”.

Na segunda parte do programa, a orquestra executa “Sinfonia Nº 6, Op.74 “Patética”, de Tchaikovsky, peça cercada de mistérios. O compositor a finalizou em agosto de 1893 e regeu a sua estreia dois meses depois, em São Petersburgo (Rússia), nove dias antes de falecer, vítima de cólera.

O retrato intimista da obra gerou má repercussão pública, então mais habituado a sinfonias de grandiosidade temática. A Sexta Sinfonia, por sua vez, inicia e termina com melancolia. Tchaikovsky não gostou da receptividade e refez alguns trechos, além de acrescentar o título de “Patética”.

Gudni Emilsson

Islandês, Emilsson estudou piano e regência na Alemanha com Walter Hugler e Miguel Monroy. Recebeu diversos prêmios, como o Herbert von Karajan (Áustria), Richard Wagner (Alemanha), Lind Artist (Islândia) e Masaryk Artist (República Checa). Como maestro convidado e em festivais, regeu importantes orquestras de todos os continentes.

É diretor artístico e maestro da Orquestra de Câmara de Tubingen, diretor artístico e adido cultural do Festival de Música Clássica da universidade da mesma cidade, regente da Camerata Bohemica Prague e, desde 2005, maestro titular da Filarmônica da Tailândia, em Bangkok.

Claudia Nascimento

Renomada flautista, Claudia Nascimento foi premiada duas vezes no Concurso Jovens Solistas da Orquestra Experimental de Repertório e vencedora do XIV Concours Européen de Musique, na Picardia. Bacharel em Flauta pela Universidade Estadual Paulista, em 2001, foi agraciada com uma bolsa de estudos pela Fundação Vitae para se aperfeiçoar no Conservatório Nacional Regional de Rueil-Malmaison, em Paris, onde obteve o Premier Prix Superieur e, por unanimidade, o Prix d’Excelence e de Perfectionement.

Na França, recebeu importantes prêmios em conservatórios, retornando ao Brasil com uma bagagem para atuar pelos mais importantes festivais de música e orquestras do país. Ocupou o cargo de solista na Orquestra Sinfônica Brasileira e, atualmente, integra a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Notícias

Vendaval faz um Boeing 737 colidir contra a ponte de embarque em Boston
A crise do PSL extrapola o partido e atinge a articulação de Bolsonaro no Congresso Nacional
Deixe seu comentário
Pode te interessar