Sábado, 25 de setembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
14°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Colunistas No caso Lula, acredite: o STF absolveu o ladrão e condenou o juiz

Compartilhe esta notícia:

Ministros Dias Toffoli e Gilmar Mendes votaram com a tese da defesa de Lula no STF. (Foto: Divulgação/STF)

O STF concluiu ontem por 7 x 4 um julgamento que deve marcar esta composição da Suprema Corte como a pior da história do país: confirmou a suspeição do ex-juiz Sérgio Moro, anulando as condenações de Lula.

Prevaleceu no julgamento o entendimento dos advogados de Lula, aceito pelos ministros Gilmar Mendes, Nunes Marques, Alexandre de Moraes, Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli, Cármen Lúcia e Rosa Weber, acatando provas ilícitas obtidas por hackers que grampearam os telefones de autoridades.

O ministro Luiz Fux, presidente da Corte e único juiz concursado no STF, e os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso e Marco Aurélio votaram de acordo com a jurisprudência do Tribunal, contra o uso de provas ilícitas nos autos do processo, mas formaram minoria.

A narrativa de corrupção na compra de vacinas

A oposição e a imprensa engajada com a esquerda caíram no golpe de mais uma fake news mentirosa, no caso da suposta corrupção da vacina Covaxin. O ministro Onyx Lorenzoni, da Secretaria Geral da presidência da República, foi enfático ontem no encontro com a imprensa ao garantir que o Governo Federal foi vítima de uma narrativa mentirosa no caso da denúncia da suposta compra de vacinas superfaturadas. Segundo Onyx, “não existe nenhuma irregularidade, existe o trabalho correto que foi feito pelo ministro Pazuello e nenhum centavo saiu dos cofres do Ministério da Saúde”. O Governo determinou a abertura, pela Polícia Federal, de uma investigação das declarações do deputado Luis Miranda (DEM/DF) e de seu irmão, autores das denúncias.

A crítica de Osmar Terra ao distanciamento controlado

O deputado federal Osmar Terra, na sua conta do Twitter, bateu forte ontem no governador gaúcho Eduardo Leite:

“A brincadeira de colorir mapas seria divertida se não tivéssemos mais de 30.600 vítimas e o RGS não fosse o um dos lugares com maior mortalidade no Brasil. Reconheça, Eduardo Leite, que a ideia de “colorir” mapas fracassou e assuma que usou verbas federais para pagar salários atrasados.”

O governador e o distanciamento controlado

Na sua rede social no Twitter, o governador gaúcho criticou Osmar Terra, afirmando que “por desconhecimento, o deputado ataca o Distanciamento Controlado, que ofereceu ao nosso Estado um mecanismo científico e ponderado para gerenciar a pandemia. O DC salvou vidas e foi substituído por um modelo mais sensível e compatível com a nova fase da doença.”

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Colunistas

Um terço do Brasil deve estar vacinado até sexta
Onyx diz que “narrativa de vacina superfaturada é conversa fiada”
Deixe seu comentário
Pode te interessar