Terça-feira, 29 de Setembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Fair

Rio Grande do Sul No enfrentamento à pandemia, FURG mobiliza produção e doação de materiais para profissionais de saúde

Compartilhe esta notícia:

Antisséptico a base de álcool e máscaras faceshield são produzidos na universidade e serão doados a hospitais e serviços de saúde.

Foto: Divulgação
Antisséptico a base de álcool e máscaras faceshield são produzidos na universidade e serão doados a hospitais e serviços de saúde. (Foto: Divulgação)

O trabalho produção e doação de materiais para profissionais de saúde é articulado em diferentes setores da universidade, mas os objetivos e o modo de operar são comuns: equipes de voluntários, que reúnem professores, estudantes, egressos e técnicos, se revezam em laboratórios para auxiliar no enfrentamento ao coronavírus. A estrutura, a mão de obra e o conhecimento produzido na FURG (Universidade Federal do Rio Grande) são assim utilizados para a produção de materiais como um antisséptico a base de álcool e máscaras faceshield, um equipamento de proteção individual para profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à doença. A produção, que já iniciou, será doada para os serviços públicos de saúde.

Antisséptico a base de álcool

Na última segunda (23), a Escola de Química e Alimentos da universidade iniciou os testes para a produção do antisséptico a base de álcool. O destino será o Hospital Univeritário Dr. Miguel Riet Corrêa Jr. (HU-FURG/Ebserh) e as prefeituras de Rio Grande e São Lourenço do Sul.

Cinquenta pessoas estão envolvidas diretamente com o projeto e a ação também conta com banco de reserva de voluntários que desejam participar. Sobre a fórmula, o professor Felipe Kessler, coordenador do curso de Química-Licenciatura, explica que o antisséptico a base de álcool é um produto recomendado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e tem as mesmas características do álcool em gel 70%.

“O antisséptico consiste em produto viscoso contendo álcool, glicerina e peróxido de hidrogênio e sua metodologia de produção é a recomendada pelo guia da Organização Mundial da Saúde”, menciona o docente. A previsão é que a produção inicial seja de 120 litros por dia, podendo chegar a 480 litros por dia, conforme a disponibilidade de insumos.

As equipes atuam seguindo medidas para evitar o contato e contaminação entre os voluntários. “Dividimos a equipe em no máximo quatro pessoas, que estarão no laboratório em turno único de 6 horas. As instalações do CIA (Centro Integrado de Análises) da FURG foram adaptadas e nossos laboratórios dispõem de estrutura física que permite a não contaminação do produto”, explica Kessler.

Máscaras para proteção

Também nesta semana iniciaram na universidade os testes para produção de máscaras de proteção faceshield a partir da impressão 3D. Esse modelo de máscara oferece proteção total à face dos profissionais de saúde, evitando o contágio de doenças transmissíveis pela saliva e fluidos nasais, ao mesmo tempo em que permite a comunicação clara e sem ruídos de obstrução. A iniciativa é resultado de um esforço conjunto de diversos grupos de pesquisa e laboratórios do C3 (Centro de Ciências Computacionais), da EE (Escola de Engenharia), do Imef (Instituto de Matemática, Estatística e Física) da FURG e da comunidade local.

Letieri Ávila, professor da Escola de Engenharia e um dos coordenadores do projeto, explica que em função da pandemia surgiram diversos tipos de equipamentos, principalmente máscaras, com projetos opensource, ou seja, projetos abertos, divulgados na internet, para que qualquer pessoa com acesso aos instrumentos e ferramentas necessárias para sua confecção pudesse produzir seu próprio equipamento e foi aí que a FURG decidiu contribuir no combate à propagação do vírus, buscando a proteção dos profissionais da saúde que atuam diariamente nesse contexto.

Quanto à escolha dos materiais, Letieri esclarece: “O acetato nos dá a transparência, nos dá a segurança e também é lavável, higienizável, o que é o primeiro requisito na confecção de EPIs para esse tipo de situação”. A produção piloto, com dois modelos, foi entregue na última terça-feira, 24, para avaliação dos profissionais Hospital Universitário Miguel Riet Corrêa Jr. (HU-FURG). “Eles fizeram algumas considerações, e, hoje mesmo (quarta, 25), levaremos outros três modelos, com as alterações necessárias, para uma nova revisão”.

Para potencializar a produção, a universidade aceita doações tanto de acetato, com espessura mínima de 0,5mm, quanto de filamento para impressora 3D. Interessados podem entrar em contato pelo e-mail letieri@furg.br. As máscaras serão doadas para uso dos profissionais do Hospital Universitário da FURG e do município do Rio Grande.

Doação de materiais para a prefeitura de São Lourenço do Sul

Já no campus da FURG em São Lourenço do Sul, docentes e técnicos realizaram uma doação à Secretaria de Saúde do município de máscaras, caixas de luvas de látex e álcool 70% líquido. O álcool foi produzido nos laboratórios do campus, enquanto os demais produtos faziam parte do estoque da instituição para a realização de aulas práticas nos laboratórios. Com a suspensão das atividades acadêmicas por conta da pandemia, ficaram sem uso.

Cientes da situação e da falta desses materiais no mercado, os servidores reverteram, com o apoio da FURG, o estoque da universidade para a comunidade, para que esses materiais possam auxiliar na segurança dos profissionais da saúde. De acordo com o diretor do campus, Eduardo Vogelmann, “Nesse momento, a FURG entende que é imprescindível equipar e fortalecer a rede pública de saúde frente o avanço da pandemia do Covid-19”.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Arqueóloga traça cronologia de epidemias e pandemias que afetaram humanidade
Uruguaiana: 1,4 mil cestas básicas distribuídas às famílias carentes
Deixe seu comentário
Pode te interessar