Quarta-feira, 27 de Maio de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Fair

Brasil O diário eletrônico do Ministério Público Federal registrou a visita de Rodrigo Janot em Minas Gerais no dia em que ele disse estar em Brasília para matar o ministro do Supremo Gilmar Mendes

Compartilhe esta notícia:

Documento informa compromissos do ex-procurador na Procuradoria de Minas Gerais e na Universidade Federal de Minas Gerais. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O diário eletrônico do MPF (Ministério Público Federal) registrou que o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot teve compromissos em Belo Horizonte (MG) entre os dias 10 e 12 de maio de 2017. Segundo Janot declarou à imprensa na semana passada, ele teria ido no dia 11 de maio ao prédio do STF (Supremo Tribunal Federal), em Brasília, com intuito de matar a tiro o ministro Gilmar Mendes.

O DNPF 86/2017 registra agenda de Janot, na época procurador-geral, entre os dias 10 de maio de 2017 e 12 de maio de 2017. Segundo o documento, ele teve reunião na Procuradoria da República em Minas Gerais e ministrou palestra no encerramento de um congresso na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerias. O documento informa que os compromissos ocorreram entre 14h do dia 10 de maio e 21h do dia 12 de maio de 2017.

O documento informa ainda que o gasto para o período foi de R$ 3.255,74. A informação de que Janot não estaria em Brasília neste dia foi publicada pelo site Jota na tarde desta quinta-feira.

A Procuradoria-Geral da República em Minas Gerais informou, no entanto, que a chefia de gabinete do órgão não registra na agenda de 2017 nenhum compromisso oficial do então procurador geral no dia 11 de maio de 2017 ou próximo a essa data. A palestra de Janot no encerramento do Seminário de Ciências Penais da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais, instituição da qual é ex-aluno, foi realizada no dia 12 de maio e foi alvo de reportagens na imprensa.

Na ocasião, Janot falou sobre a importância da cooperação jurídica internacional para as investigações do MPF e fez um balanço na Lava-Jato, que já havia feito, até aquela data, 136 pedidos de cooperação internacional a 33 países.  “Não adianta esconder bens ou valores fora do Brasil. A cooperação internacional hoje é tão estreita que nós vamos descobrir” disse Janot.

Questionada pela reportagem, assessoria do Supremo informou que não há registros da entrada de Janot nas dependências da corte naquele dia. Segundo a assessoria, por ser autoridade, Janot entrava no prédio por um salão sem a necessidade de registro.

A FAB (Força Aérea Brasileira) informou que transportou Janot em 10 de maio de 2017, de Brasília para Belo Horizonte. E também no sentido contrário em 15 de maio de 2017. “(Voo) solicitado pelo Ministério da Defesa, por meio de ofício, datado de 4 de maio de 2017, em favor do Procurador-Geral da República, para cumprimento de compromisso oficial”, diz a assessoria da FAB.

Assessores próximos a Janot afirmam que o ex-procurador só poderá confirmar as datas quando tiver de volta seu aparelho celular e seu computador, que foram apreendidos por determinação do STF. Tanto o celular quanto o computador, que registravam as agendas de compromissos de Janot, estão com a Polícia Federal.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Lojas que vendem celulares roubados foram alvo de uma operação especial no Centro de Porto Alegre
“É injusto acusar Lula sem esclarecer contradições de versões de Palocci e Emílio”, disse Marcelo Odebrecht
Deixe seu comentário
Pode te interessar