Sábado, 22 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Fair

Mundo O ex-presidente do Mc Donald’s demitido por ter um caso com uma funcionária dará palestras sobre reputação na Universidade de Oxford

A decisão da demissão de Easterbrook foi comunicada no último domingo. (Foto: Reprodução)

Steve Easterbrook, ex-CEO do McDonald´s que foi demitido por ter mantido um caso com uma funcionária, vai manter seu posto de conferencista visitante no Centro para Reputação Corporativa na Universidade de Oxford, no Reino Unido.

“Os desdobramentos [do caso] não têm impacto em seu mandato”, disse o fundador do centro, Rupert Younger, à Bloomberg. “Ele sempre deu ótimas palestras sobre o assunto, e agora poderá fazê-lo de uma perspectiva diferente.”

Segundo Younger, o executivo estaria feliz em manter o trabalho, que não é remunerado. Representantes de Easterbrook não responderam a pedidos de entrevista.

Conferencistas visitantes atuam como conselheiros em temas que são alvo de pesquisa em Oxford, inclusive no curso de MBA na Escola de Negócios da universidade

O conselho do McDonald´s votou na semana passada por demitir Easterbrook, de 52 anos, depois de investigar um relacionamento amoroso que violava a política da empresa. O executivo revigorou a extensa rede de lanchonetes, adquirindo start-ups com foco em tecnologia e expandindo seu menu para incluir itens de café da manhã. As ações da rede quase dobraram desde que assumiu o cargo em 2015.

Na segunda-feira (4), Easterbrook também deixou o conselho do Walmart.

Impacto

O impacto da demissão de Easterbrook para o McDonald’s pode ser bilionário: as ações da empresa abriram o dia em queda de cerca de 2%, de 147 para 144 bilhões de dólares.

A reação é consequência da importância que Easterbrook teve para a rede desde que assumiu, em 2015. Nos últimos quatro anos, o executivo levou o valor de mercado da empresa a mais do que dobrar, ao voltar a atrair uma nova geração de consumidores para as lojas.

Sob seu comando, o McDonald’s lançou as entregas via aplicativo e firmou parcerias com empresas de delivery como o Uber Eats. As vendas em mesmas lojas também se recuperaram com a instituição da oferta de café da manhã durante todo o dia.

O McDonald’s ainda está reformando lojas, abrindo quiosques digitais e investindo em tecnologia. Também está testando um novo um hambúrguer de carne vegetal da startup Beyond Meat em algumas lojas no Canadá.

Nem todos estão satisfeitos com as mudanças. Os investimentos em tecnologia aumentaram as despesas da companhia e as ofertas de café da manhã e de sanduíches mais premium prejudicam a velocidade das operações em loja. Por isso, franqueados criaram uma associação independente para reclamar contra essas ações.

Mas é um caminho sem volta: o avanço de redes de hambúrgueres premium e de cafés especiais fará com que a vida do McDonald’s seja mais complexa mesmo. De acordo com analistas, o McDonald’s é um dos papéis mais atraentes atualmente no mercado porque, de certa forma, vem conseguindo dar respostas a este mundo que demanda mais que um Big Mac.

“Quando você pensa em café da manhã de fast-food, pensa no McDonald’s, e quando olho para tudo o que o McDonald’s está fazendo, desde melhorar a experiência do cliente até reformas de lojas de entrega móvel, vejo que o McDonald’s é realmente a ação mais barata do setor de fast food, do ponto de vista da avaliação”, disse Mark Tepper, presidente da Strategic Wealth Partnerns no início de outubro.

Ainda que Easterbrook tenha sido uma peça-chave para a valorização da empresa nos últimos anos, companhias como o McDonald’s estão criando políticas internas mais firmes envolvendo os relacionamentos de seus funcionários e executivos, para prevenir denúncias de assédio.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

A televisão dos Estados Unidos nunca teve tantos personagens LGBTQ
Sine Municipal oferece 338 vagas de emprego nesta sexta
Deixe seu comentário
Pode te interessar