Quarta-feira, 20 de Janeiro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Cloudy

Mundo O governo Donald Trump perto do fim: diretora de comunicação da Casa Branca pede demissão

Compartilhe esta notícia:

Alyssa Farah trabalhou para o governo norte-americano durante mais de três anos. (Foto: Reprodução)

Alyssa Farah, diretora de Comunicação da Casa Branca, pediu sua demissão, em Washington DC, nos Estados Unidos. O anúncio de sua saída foi feito a poucas semanas do fim do mandato do presidente Donald Trump, que termina oficialmente em 20 de janeiro.

“Depois de três anos e meio incríveis, estou deixando a Casa Branca para ir em busca de novas oportunidades”, disse Farah em um comunicado.

Farah vinha se mantendo discreta e sem aparições públicas desde as eleições de 3 de novembro, que deram vitória ao democrata Joe Biden.

Trump ainda se recusa a admitir a derrota, projetada por diferentes veículos da imprensa norte-americana e confirmada pelas certificações oficiais dos Estados. Ele acusa, sem provas, o processo eleitoral de fraude.

A diretora assumiu a liderança do departamento de Comunicação da sede do governo norte-americano apenas em abril deste ano, mas antes foi porta-voz do vice-presidente, Mike Pence, e trabalhou também no Pentágono.

Arrecadação

A equipe de campanha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o Comitê Nacional Republicano arrecadaram 207,5 milhões de dólares, cerca de R$ 1 bilhão, desde o dia da eleição, de acordo com um comunicado divulgado na última quinta, recebendo doações para pagar as despesas das ações judiciais contra a vitória do democrata Joe Biden na votação de 3 de novembro.

A iniciativa de arrecadação pós-eleitoral elevou a arrecadação combinada de comitês de Trump a 495 milhões entre 15 de outubro e 23 de novembro, disse a equipe do republicano.

A equipe de campanha de Biden arrecadou 112 milhões de dólares durante o mesmo período, segundo um registro feito na Comissão Eleitoral Federal na quinta.

Trump se recusa a admitir a derrota e alegou, sem provas, que o triunfo de Biden se deveu a uma fraude eleitoral.

O gerente de campanha de Trump, Bill Stepien, disse em um comunicado que a iniciativa de arrecadação “posiciona o presidente Trump para continuar liderando a luta para limpar nosso processo eleitoral corrupto em muitas áreas do país”.

Trump e seus aliados iniciaram diversas ações civis em Estados-chave, mas não apresentaram provas de fraude generalizada ou de problemas que poderiam ter afetado os resultados.

Recontagem aumenta vantagem de Biden

As duas recontagens de votos no Estado norte-americano do Wisconsin, pedidas e pagas pela campanha eleitoral do Presidente dos EUA, Donald Trump, foram concluídas com a confirmação da vitória do candidato do Partido Democrata e Presidente eleito, Joe Biden. No final, Biden viu a sua vantagem aumentar em 87 votos.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Um estudo indica que a vacina da Moderna contra o coronavírus gera pelo menos três meses de imunidade após a aplicação da segunda dose
O progresso das vacinas contra o coronavírus dá “tranquilidade”, mas não é sinal de que a pandemia acabou, diz a Organização Mundial da Saúde
Deixe seu comentário
Pode te interessar