Sábado, 04 de Abril de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Fair

Notícias O governo gaúcho vai colocar à venda mais seis imóveis pertencentes ao Estado

Lote inclui loja de quase R$ 400 mil no Centro Histórico de Porto Alegre. (Foto: Carolina Greiwe/Seplag)

Por meio de licitação, mais seis imóveis pertencentes ao patrimônio do Estado serão colocados à venda em março. A lista inclui duas salas comerciais na rua dos Andradas, Centro Histórico de Porto Alegre. Também serão oferecidos três terrenos em Montenegro (Vale do Caí). Se todos os bens forem arrematados, a receita para os cofres públicos será superior a R$ 1 milhão.

De acordo com o edital de concorrência divulgado pela Celic (Subsecretaria Central de Licitações do Estado), vinculada à Seplag (Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão), as propostas serão conhecidas a partir das 10h do dia 11 de março (quarta-feira).

O certame será realizado no segundo andar do Caff (Centro Administrativo Fernando Ferrari), no bairro Praia de Belas, na capital gaúcha. Confira a seguir a relação de imóveis, que pertenciam ao Ipergs (Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul) – um dos itens é uma loja na Rua dos Andradas, avaliada em quase R$ 400 mil.

Lojas

1) Rua dos Andradas nº 393 (loja 397)
Centro Histórico de Porto Alegre
Área total: 88,39 m²
Avaliação: R$ 390,9 mil

2) Rua dos Andradas nº 243
Centro Histórico de Porto Alegre
Área útil: 58,13 m²
Avaliação: R$ 197,2 mil

Terrenos urbanos

1) Rua Helmuth da Costa Viana nº 35
Montenegro
Área: 363 m²
Avaliação: R$ 121,1 mil

2) Rua Jorge Guilherme Moojen nº 503
Montenegro
Área: 300 m²
Benfeitorias: 40,50 m² + 12,84 m²
Avaliação: R$ 160,1 mil

3) Rua Otaviano Moojen nº 200
Montenegro
Área: 420 m²
Benfeitorias: 40,87 m²
Avaliação: R$ 166,8 mil

4) Rua Antão de Faria nº 260
São Sepé
Área do terreno: 147 m²
Benfeitorias: 52,46 m²
Avaliação: R$ 52 mil

Recursos para o Estado

Responsável por administrar mais de 8,8 mil imóveis, alguns deles localizados fora do Rio Grande do Sul, a Seplag contabilizou ao longo do ano passado uma receita de R$ 5,5 milhões com a venda de 13 imóveis.

Somando-se com o incremento na arrecadação por meio do uso oneroso de outras propriedades, a receita total alcançou R$ 11,9 milhões. Houve ainda 95 cessões de uso autorizadas (62 municípios contemplados) e outras quatro permutas.

“Para este ano, a meta é consolidar um plano estratégico para a gestão patrimonial”, destaca o site oficial do Palácio Piratini. Na semana passada, o governador Eduardo Leite assinou no Rio de Janeiro, um acordo de cooperação técnica com o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para estruturar frentes de desestatização de imóveis do Estado.

“Sem envolver recursos financeiros entre governo e banco, o acordo precede um possível contrato para modelagem de projetos, assim como feito no caso das privatizações das estatais”, finaliza o texto.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Notícias

Durante quatro dias de carnaval de rua em Porto Alegre, os participantes deixaram 7 toneladas de lixo no bairro Cidade Baixa
Autoridades de saúde orientam os médicos sobre o atendimento de eventuais pacientes do coronavírus em Porto Alegre
Deixe seu comentário
Pode te interessar