Sábado, 06 de Junho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Cloudy

Esporte O Grêmio não contará com o meia Jean Pyerre para os próximos jogos do Brasileirão e da Copa Libertadores da América

Compartilhe esta notícia:

Atleta sofreu lesão na coxa direita no treino da última sexta-feira. (Foto: Lucas Uebel/Grêmio)

Disputando simultaneamente o Campeonato Brasileiro (sétimo lugar na tabela) e a Copa Libertadores da América, o Grêmio dificilmente contará com o meia Jean Pyerre para as duas partidas da semifinais do torneio continental, contra o Flamengo, marcadas para os dias 2 e 23 de outubro. Isso porque o atleta de 21 anos sofreu uma lesão muscular de grau dois na coxa direita.

“Jean tem uma lesão no músculo reto femural e vai levar, sei lá… uns 25 dias”, declarou afirmou Deco Nascimento, do departamento médico do Tricolor. “A gente não pode nem prever o tempo, afinal cada jogador tem uma reação. Aparentemente, ele está fora dos dois jogos. Não tem como, não tem jeito. Não vai ficar pronto.”

O meia deixou o treino coletivo da última sexta-feira, após se contundir sozinho em uma jogada de ataque, e recebeu atendimento imediato, sem conseguir retomar a atividade com os demais colegas – precisou de um carro-maca para chegar ao vestiário. . Suspeitou-se inicialmente de uma torsão de tornozelo, hipótese depois descartada pelo exame mais detalhado.

Jean Pyerre foi substituído já nesse sábado por Luan, que marcou o primeiro dos três gols da vitória de 3 a 0 sobre o Santos na Vila Belmiro. Essa é a tendência para os próximos confrontos pelo Brasileirão, contra Avaí-SC, Fluminense-RJ e Corinthians-SP.

Everton

Convocado mais uma vez pelo técnico Tite para a Seleção Brasileira (junto com o meia Matheus Henrique, chamado pela primeira vez), o atacante Everton frisou que a oportunidade de vestir mais uma vez a camisa “canarinho” resulta do trabalho que vem fazendo no Grêmio: “É um reconhecimento do que a gente vem fazendo e pela regularidade que venho mantendo aqui no clube”.

Em entrevista coletiva, “Cebolinha” também demonstrou bom-humor ao responder a perguntas dos repórteres sobre a sua renovação até 2023 com o Tricolor gaúcho: “Já está bem encaminhada e acredito que nos próximos dias tudo se acerte. Até brinquei que se quisessem fazer um contrato vitalício, eu faria”.

Sobre Matheus Henrique, Everton mencionou o seu próprio exemplo pessoal: “A gente fica meio acanhado na primeira convocação, com medo de errar, mas os companheiros ajudam muito para que a gente consiga se soltar”.

O meia, por sua vez, definiu-se como “tímido” e disse esperar que o colega de clube – e agora de Seleção – dê dicas para que possa me sair bem. Também mencionou conselhos que recebeu do técnico Renato Portaluppi: “Eue disse pra eu ser eu mesmo e fazer o mesmo que venho fazendo aqui. Ele nos ajuda muito, como no processo de lapidação e até agora”.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Esporte

Procuradores da Operação Lava-Jato pouparam a Odebrecht e seus principais executivos de medidas drásticas
As duas propostas de reforma tributária em discussão no Congresso têm potencial para criar 300 mil empregos por ano
Deixe seu comentário
Pode te interessar