Sábado, 29 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
25°
Fair

Brasil O Ministério do Turismo entregou 993 projetos de infraestrutura turística em todas as regiões brasileiras

Manaus foi uma das cidades beneficiadas. (Foto: Divulgação)

A pouco menos de um mês para o fim do ano, o Ministério do Turismo contabiliza a entrega de 993 projetos de infraestrutura turística em todas as regiões brasileiras. As obras contaram com repasse de R$ 506,3 milhões feito pela Pasta, além de R$ 68 milhões de contrapartida dos estados e municípios. São projetos de sinalização turística e obras que melhoram os acessos aos atrativos como pavimentação, pontes, rodovias e urbanização de orlas e balneários, entre outros.

Na lista de projetos concluídos ao longo deste ano estão ainda praças de eventos, pavilhões de feiras e exposições que estimulam o turismo doméstico, bem como terminais turísticos e CAT (Centros de Apoio ao Turista). Entre as obras de destaque estão as que contemplaram a pavimentação de via de acesso a destinos turísticos (189) – no valor total de R$ 98,7 milhões -, a sinalização turística (23) com repasses de R$ 10,1 milhões e a construção, reforma e compra de equipamentos para centros de convenções em todo o país (15) – no valor de R$ 70,9 milhões. Vale ressaltar que os centros de convenções são fundamentais para estimular o turismo de negócios em todo o país.

“Essas obras são fundamentais para o desenvolvimento regional, por meio do turismo, com a geração de emprego e renda para a população. A melhoria da infraestrutura turística também significa mais qualidade na experiência do turismo e, consequentemente, maior atração de visitantes para os destinos, impulsionando o surgimento de novos empreendimentos como hospedagem, alimentação e lazer, girando a economia local”, destacou o ministro do Turismo, Marx Beltrão.

As obras são realizadas, preferencialmente, nos municípios que constam no Mapa do Turismo do Brasil. A ferramenta do programa de regionalização do turismo brasileiro é um instrumento de transparência reconhecido pelo TCU (Tribunal de Contas da União) para melhorar a aplicação de recursos públicos em destinos que adotaram o turismo como estratégia de investimento e alternativa de retorno econômico. Os recursos são provenientes do orçamento da Pasta e das emendas parlamentares apresentadas ao MTur.

Em 2017, o Centro de Convenções de João Pessoa foi a obra entregue de maior valor. Dos R$ 80,4 milhões investidos em obras finalizadas em 2017 na Paraíba, R$ 50 milhões foram para o equipamento de apoio ao turismo de eventos na capital. Em seguida está a primeira etapa do Centro de Convenções de Manaus que recebeu R$ 14,7 milhões, de um total de R$ 15,7 milhões investidos no Estado do Amazonas para obras entregues este ano.

Linha de crédito

Foi lançado nesta quinta-feira o Novo Fungetur, linha de crédito do Ministério do Turismo com condições diferenciadas para dinamizar o mercado. As micro e pequenas empresas terão prioridades para acessar os R$ 450 milhões disponíveis para construção, reforma, ampliação ou compra de equipamentos turísticos. No novo formato, oito instituições financeiras estarão habilitadas para gerir o recurso.

“O turismo é um dos setores da economia que mais cresceu nos últimos anos. A oferta de mais crédito tem como objetivo manter esse crescimento e dar mais fôlego para que empresários continuem investindo, gerando emprego e renda através de nosso setor”, afirmou o ministro durante o lançamento.

A ampliação dos investimentos no setor, citada pelo ministro, é fundamentada em pesquisa realizada pelo Ministério do Turismo com 716 empresas que empregam 79.319 mil pessoas (segundo o Boletim de Desempenho Econômico do Turismo). De acordo com o estudo, 66% dos empresários do setor manifestaram intenção de investir parte do faturamento apurado ainda em 2017. O maior percentual, 15,2%, é projetado pelo segmento de turismo receptivo, seguido dos organizadores de eventos (8,1%), meios de hospedagem (5,2%) e transporte aéreo (4,7%).

Para Marx Beltrão, os financiamentos com recursos do Novo Fungetur melhoram não só os serviços prestados ao turista, mas também geram oportunidades de novos negócios e, consequentemente, abrem vagas no mercado de trabalho em atividades direta ou indiretamente ligadas ao turismo.

O Fungetur é um fundo especial criado por Lei e vinculado ao MTur. Os financiamentos têm prazo de amortização de até 20 anos com até cinco anos de carência. Os juros são a partir de 5% ao ano somados mais o INPC.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Cinco ministros do Supremo votaram contra assembleias revogarem prisão de deputado
A Polícia Federal acredita que os brasileiros desaparecidos nas Bahamas morreram em naufrágio
Deixe seu comentário
Pode te interessar