Domingo, 29 de Março de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Fair

Notícias O número de homicídios no Rio Grande do Sul caiu quase 23% entre janeiro e julho deste ano

A capital gaúcha também registrou queda nos índices. (Foto: EBC)

Em notícia postada em seu site oficial, o governo do Rio Grande do Sul enalteceu a queda de 22,7% no número de homicídios no Estado entre janeiro e julho deste ano. Embora os 1.109 assassinatos registrados no período não sejam motivo para comemoração, esse contingente caiu para 1.435, o que significa – ao menos no aspecto estatístico – 326 vidas poupadas.

O relatório apresentado nessa quinta-feira pela SSP (Secretaria da Segurança Pública) aponta que, em julho, houve uma redução de 18,7% nesse tipo de crime, na comparação com o mesmo mês do ano passado, baixando de 171 de 139.

Além disso, os casos de latrocínio (roubo com morte) desceram 32,8% no acumulado dos sete primeiros meses deste ano, com 39 ocorrências contra 58 em igual intervalo de tempo de 2018. Isolando-se julho, a baixa comparativa foi de 42,9%, respectivamente com sete e quatro ocorrências.

“É claro que ainda não estamos satisfeitos, mas todos os indicadores mostram que estamos no caminho certo e que, com as ações do ‘RS Seguro’, esses índices vão cair ainda mais”, declarou o vice-governador e ex-delegado Ranolfo Vieira Júnior, que acumula o cargo de titular da SSP.

O governador Eduardo Leite adotou o mesmo tom: “Mesmo que os números positivos não nos deixem absolutamente satisfeitos, deixam a certeza de que estamos no caminho da redução da criminalidade”. Segundo ele, devem a incorporação de 2,4 mil novos policiais civis e militares, bem como o apoio da bancada federal e da iniciativa privada, por meio do Piseg (Programa de Incentivo à Segurança Pública), deve contribuir para novas quedas nos índices de crimes graves no Estado.

Municipalização

Outro destaque é a leitura dos resultados nos 18 municípios priorizados pelo “RS Seguro”. Os dados mostram que esse conjunto de cidades foi responsável por nove em cada dez das vidas preservadas no Estado entre janeiro e julho deste ano, na comparação com o total de homicídios em igual período de 2018.

O número de assassinatos nesses municípios caiu 31,9%, passando de 955 para 650. “Das 326 mortes que deixaram de ocorrer em todo o Rio Grande do Sul, 305 foram evitadas nas localidades priorizadas pela iniciativa”, atribui o site oficial do governo do Estado. “A análise comprova a efetividade do planejamento do programa, lançado em fevereiro e com foco territorial para combate à criminalidade nas cidades que concentraram os piores índices nos últimos dez anos.

Alvorada

O Palácio Piratini não esconde o incômodo com a recente publicação de um relatório do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) que colocou a cidade de Alvorada em sexto lugar no ranking de cidades mais violentas do Brasil. Ao divulgar os dados da segurança pública nessa segunda-feira, a SSP voltou a dizer que o estudo, por se referir a ocorrências de 2017, está defasado.

“Dentre os 18 municípios priorizados [pelo ‘RS Seguro’] e que puxaram a queda nos homicídios no Estado, cabe destacar a radical mudança de cenário em Alvorada (…). No acumulado de janeiro a julho, a cidade registrou queda de 34% nos assassinatos, passando de 96 em 2018 para 63 neste ano”, frisou o site do governo estadual.

O texto prossegue: “Essa média de nove óbitos por mês que, caso mantida, fará a cidade fechar o ano com 108 vítimas. Frente a uma população de 209.213 moradores, a taxa de homicídios em Alvorada ficará em 51,6 para cada 100 mil habitantes. Embora ainda supere em muito o limite preconizado pela Organização das Nações Unidas [dez por 100 mil], a projeção sugere uma redução pela metade na taxa de dois anos antes (100,3 por 100 mil), quando ocorreram 209 mortes por esse motivo.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Notícias

Reduto de guerrilhas na Colômbia já tem 25 mil venezuelanos
Procuradoria investiga operações de Eike Batista com bitcoins em nome da mulher
Deixe seu comentário
Pode te interessar