Sábado, 19 de Setembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
12°
Partly Cloudy

Mundo O presidente Donald Trump disse que o surto de coronavírus está o mais controlado possível nos Estados Unidos

Compartilhe esta notícia:

"É o que é. Mas isso não significa que não estamos fazendo tudo o que podemos", declarou. (Foto: Shealah Craighead/The White House)

O presidente Donald Trump disse que o surto de coronavírus está o mais controlado possível nos Estados Unidos, onde ao menos 155 mil pessoas morreram em meio a uma resposta irregular à crise de saúde pública que não conseguiu conter um aumento de casos.

O líder republicano continuou pressionando as escolas do país a reabrirem, por meio de uma publicação em uma rede social durante a noite, e defendeu a resposta de seu governo ao vírus em uma entrevista ao site de notícias Axios, divulgada na noite de segunda-feira (3).

“Estão morrendo, é verdade”, disse ele. “É o que é. Mas isso não significa que não estamos fazendo tudo o que podemos. Está sob controle, tanto quanto você pode controlá-lo. Esta é uma praga horrível.”

Com as mortes atingindo um recorde de 1.000 por dia no país, Trump pressionou encarar as mortes em proporção do número de casos, e não em proporção à população, na qual os Estados Unidos se saem pior do que outras nações ocidentais.

Na entrevista do Axios, Trump novamente insistiu que o aumento do teste de diagnóstico nos Estados Unidos foi responsável pelo aumento de casos, uma afirmação contestada por especialistas em saúde que dizem que o teste expandido representa parte, mas não o total, do crescimento de casos.

Especialistas em saúde também consideram a testagem como uma ferramenta fundamental no combate à propagação da doença, que foi detectada em pelo menos 4,7 milhões de pessoas nos Estados Unidos até esta terça (4).

Ataque

Donald Trump chamou sua coordenadora de resposta à Covid-19, Deborah Birx, de “patética” depois que a médica emitiu um alerta sombrio sobre o aumento de casos da doença, agora amplamente disseminada no país.

Irritado com o que ele considera uma cobertura pessimista da mídia sobre sua gestão da pandemia, Trump disse que Birx se curvou à pressão para parecer negativa.

“Deborah mordeu o anzol e nos atingiu. Patética!”, tuitou o presidente republicano.

No domingo, Birx declarou à rede CNN que os Estados Unidos, que somam mais de 155 mil mortes pela Covid-19, estão entrando em uma “nova fase” de propagação viral.

“O vírus se propagou de forma extraordinária. Está presente tanto nas zonas rurais como urbanas”, apontou.

Trump disse que Birx falou depois de ser atacada pela presidente da Câmara de Representantes, Nancy Pelosi, líder da oposição democrata no Congresso.

Pelosi e outros democratas disseram que Birx, uma renomada especialista em saúde pública, está disposta a adaptar suas mensagens para obter a aprovação de Trump.

“Acredito que o presidente está divulgando desinformação sobre o vírus, e ela foi nomeada por ele. Então, não tenho confiança nela”, declarou Pelosi à rede ABC.

A Casa Branca saiu em defesa de Birx após essas declarações.

“É profundamente irresponsável por parte da presidente da Câmara Pelosi tentar repetidamente minar e criar desconfiança pública na dra. Birx, a principal profissional de saúde pública da força-tarefa do coronavírus”, tuitou a diretora de Comunicação Estratégica, Alyssa Farah.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Embaixador dos Estados Unidos no Brasil nega ter feito lobby pelo livre comércio de etanol para favorecer a campanha de Donald Trump à reeleição
A Indonésia prevê produzir 250 milhões de doses por ano de vacina contra o coronavírus
Deixe seu comentário
Pode te interessar